Houve uma Super Lua, com o astro vizinho a aproximar-se o máximo possível do planeta Terra. Houve uma Lua Azul, porque esta é a segunda Lua Cheia no mesmo mês. Mas, ao contrário da Ásia, Austrália, Oceano Pacífico e oeste América do Norte, Portugal não vai ter a Lua de Sangue, nome dado ao satélite natural da Terra quando entra num eclipse total e se torna vermelho durante a fase de ocultação. Ainda assim, vai poder vê-la. Milagre? Não, ciência: a NASA está a usar dois telescópios na Califórnia e um no Arizona para transmitir o eclipse para o mundo inteiro. E os portugueses também o podem ver aqui, em direto.

[Se tiver dificuldades em ver o livestreaming incorporado neste artigo, aceda diretamente ao site da NASA TV ou à página oficial da NASA, clicando aqui.]

O eclipse total da Lua ocorre quando, à conta dos movimentos de translação da Lua em redor da Terra e da Terra em redor do Sol, o nosso planeta fica entre o astro rei e o satélite natural. A sombra da Terra oculta temporariamente a Lua, que pode ficar vermelha exatamente por causa do nosso planeta. Conforme explica a agência espacial norte-americana, durante um eclipse lunar, os raios solares que atingem as partículas da atmosfera da Terra são absorvidos e depois irradiados. Grande parte dos comprimentos de onda dos raios solares equivalentes à cor azul é irradiada — e é por isso que o céu é azul.

[Veja no vídeo as fantásticas imagens da Super Lua captadas um pouco por todo o mundo]

[jwplatform Vw9QGlfK]

Sobram os comprimentos de onda maiores, como o vermelho e o laranja. Essa radiação atravessa a atmosfera da Terra sem ser absorvida e vai recair na superfície lunar, fazendo com que a Lua nos pareça ter cor de sangue. No entanto, a vivacidade dessa cor depende de muitos fatores, nomeadamente a natureza e a quantidade de partículas em suspensão na atmosfera, que são responsáveis por filtrar a radiação visível que chega até nós vinda do Sol.

O eclipse de esta quarta-feira vai começar às 10 horas, 51 minutos e 15 segundos de Portugal Continental. O fenómeno durará pouco mais de cinco horas, com o ponto máximo de ocultação lunar a ocorrer às 13 horas, 29 minutos e 50 segundos. É nesse período de ocultação total, que durará uma hora e um quarto, que a Lua vai parecer avermelhada. Enquanto espera, recorde este artigo sobre a ciência por detrás deste fenómeno. E saiba como, em 1504, foi poderoso o suficiente para alterar o rumo da História.

Super Lua Azul de Sangue, o fenómeno que mudou o rumo da História há cinco séculos