A Impresa registou prejuízos de 21,6 milhões de euros em 2017, contra lucros de 2,8 milhões de euros em 2016, penalizada por perdas (imparidades) registadas com a venda das revistas e custos de reestruturação, anunciou esta terça-feira o grupo.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a dona da SIC refere que, “considerando as perdas de imparidade, o resultado líquido foi negativo em 21,6 milhões de euros, penalizado pelo registo de 23,2 milhões de euros em perdas por imparidade de ativos não correntes”.

Ou seja, o resultado líquido foi afetado pelas imparidades registadas devido à venda do segmento das revistas do grupo Impresa e pelos custos de reestruturação.

Excluindo o registo das imparidades, o resultado líquido no ano passado teria sido de 1,5 milhões de euros.

“No âmbito do Plano Estratégico para o triénio 2017-2019, que tem como objetivo o reposicionamento da atividade da Impresa, com um maior enfoque nas componentes do audiovisual e do digital, alienou-se o portfólio de revistas pelo valor de 10,2 milhões de euros, no início de janeiro de 2018” ao grupo de Luís Delgado Trust in News.

No seguimento desta venda, “reconheceu-se uma perda por imparidade de 21,96 milhões de euros nas contas de 2017”, adianta a Impresa.

As receitas consolidadas caíram 2% no ano passado, face a 2016, para 201,8 milhões de euros.

Relativamente às receitas de publicidade, estas aumentaram 2,6% no ano passado, face a 2016, para 119,3 milhões de euros.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) recuou 11% para 13,8 milhões de euros.

Já o EBITDA consolidado (ajustado de custos de reestruturações e de imparidades de ativos não correntes) cresceu 5,6% para 19,2 milhões de euros.

“A dívida remunerada líquida, incluindo locações financeiras, foi reduzida em 4,8 milhões de euros face a dezembro de 2016, para 178,4 milhões de euros, o valor mais baixo dos últimos 10 anos”, referiu a dona da SIC em comunicado.