Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Wolverhampton assegurou a subida à Premier League no passado sábado – sem sequer ter de sair do sofá. A equipa de Nuno Espírito Santo, que lidera atualmente o segundo escalão do futebol inglês, estava arredada do campeonato principal desde a temporada 2011/12. Mas esta terça-feira os adeptos foram surpreendidos por uma notícia que abalou o entusiasmo dos últimos dias: a promoção à Premier League pode estar em risco. E a responsabilidade é de um português. Mais especificamente, do empresário Jorge Mendes.

O The Guardian explica que a subida do Wolverhampton está a ser comprometida por uma provável violação das regras da Football Association, a organização que regula o futebol inglês. Esta legislação proíbe os clubes de terem investimentos em empresas de agenciamento de jogadores; e, no sentido inverso, proíbe que os ditos agentes tenham “influência material” nos assuntos internos dos clubes.

O conglomerado chinês Fosun – que em Portugal detém uma parte do BCP e a seguradora Fidelidade – comprou a equipa treinada por Nuno Espírito Santo em julho de 2016. Seis meses antes, adquiriu uma participação na Gestifute, a agência do empresário Jorge Mendes. Ora, é exatamente este negócio que está a colocar a promoção dos Wolves em risco: desde a compra do clube inglês por parte da Fosun, o “super agente” esteve envolvido em diversas transferências de portugueses para o Wolverhampton, incluindo o treinador e vários jogadores.

A estrutura do Wolverhampton foi aprovada pela Football Association e pela English Football League há dois anos consecutivos, já que ambos os organismos defendem que a participação de 20% na Gestifute não pertence diretamente à Fosun mas sim à Shanghai Foyo, uma empresa em que o presidente do conglomerado chinês é acionista maioritário. Mas agora é a própria organização da Premier League que está a pedir esclarecimentos ao Wolverhampton: a influência de Jorge Mendes no clube terá de ser detalhadamente explicada durante um processo regulatório que vai começar em breve.

Laurie Dalrymple, o team manager dos Wolves, deu esta semana uma entrevista à Sky TV onde comentou o tema e explicou o papel que Jorge Mendes teve na contratação dos vários futebolistas portugueses do plantel – como Rúben Neves, Diogo Jota, Hélder Costa ou Ivan Cavaleiro. Dalrymple confirmou que o agente português “aconselhou o clube sobre jogadores a contratar” e “muitos jogadores ligados a ele” estão a fazer um bom trabalho no clube inglês mas negou que Jorge Mendes tenha sido realmente responsável pelas transferências. Referindo-se ao agente sempre como “conselheiro” e “amigo próximo” do presidente do Wolverhampton, Laurie Dalrymple garantiu que o clube “está dentro das regras”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR