Chama-se Daisy (Margarida, em português) e tem uma missão: desmontar iPhone(s). Este (esta?) robô foi criado pela Apple para recuperar componentes valiosos que podem ser reciclados dos smartphones que fabrica e vai substituir o Liam, o primeiro robot para desmontar os smartphones da marca, criado em 2016.

No vídeo, a máquina de desmontar smartphones da Apple em funcionamento.

Esta máquina consegue desmontar nove modelos de iPhone, até 200 dispositivos por hora. A Daisy foi divulgada esta quinta-feira em antecipação da celebração do Dia da Terra (22 de Abril), explica a Apple em comunicado. A empresa afirma que a máquina consegue recuperar componentes que outros aparelhos de reciclagem não conseguem “e com melhor qualidade”.

A empresa divulga no mesmo comunicado que, por cada dispositivo da Apple que for devolvido à empresa, através do programa “GiveBack” (troca de produto antigo de crédito para gastar na loja online da californiana), vai fazer um donativo à Conservation International, uma organização não governamental norte-americana que defende o ambiente.

Lisa Jackson, vice-presidente da Apple para o ambiente, Políticas Públicas e Iniciativas Sociais, afirma que é missão da empresa “trabalhar em soluções inteligentes para combater as alterações climáticas e conservar os recursos do planeta”.

Na semana passada, a Apple anunciou que todas as instalações que tem, desde escritórios às lojas de retalho, funcionam com “100% de energias renováveis”. A empresa comprometeu-se ainda a trabalhar com nove novos parceiros que vão fabricar os seus produtos com energia renovável.

No final de 2018, a Apple pediu desculpa por não informado os consumidores que reduzia o desempenho dos seus dispositivos móveis para não sobrecarregar a bateria do equipamento. Depois de críticas que a acusaram de tornar os iPhone mais lentos para incentivar os consumidores a adquirirem novos produtos, a Apple reduziu o preço de troca de baterias em 42 euros.