Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Pelo menos dez pessoas morreram e 15 ficaram feridas esta segunda-feira em Toronto, no Canadá, depois de terem sido atropeladas por uma carrinha branca, confirmou a polícia. O incidente aconteceu por volta das 13h30 (18h30 em Lisboa) e a polícia foi chamada ao local instantes depois.

Ainda não se conhecem os motivos do atropelamento nem se sabe se foi um atentado terrorista, embora essa hipótese não tenha ainda sido ainda afastada. As autoridades têm-se referido ao atropelamento como um incidente. Também não foi alterado o nível de alerta de terrorismo no país. O alegado condutor foi detido e já foi identificado como sendo Alek Minassian de 25 anos, natural de Toronto e sem ligações conhecidas a qualquer grupo extremista, conta o canal canadiano CBC.

O atropelamento aconteceu entre a Yonge Street e a Finch Avenue, a norte de Toronto e a 30 km de distância da baixa, onde um grupo de sete ministros dos Negócios Estrangeiros estavam reunidos. Stephan Powell, porta-voz dos bombeiros de Toronto, explicou que os pedestres foram “atingidos pelo veículo em, pelo menos, duas localizações”.

Um total de dez pessoas deu entrada no Hospital Sunnybrook. Dois deles chegaram às urgências já sem sinais vitais e o óbito foi declarado de imediato. Há cinco pessoas em estado crítico, duas em estado grave e um ferido ligeiro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Disparem na minha cabeça!”. A detenção do suspeito

O condutor foi detido pelas autoridades. Tem 25 anos e é natural de Richmond Hill, a norte de Toronto, avança a agência Reuters. Alek Minassian é o nome do suspeito de ter atropelado mortalmente 10 pessoas e ferido outras 15. De acordo com a sua página no LinkedIn, o suspeito é estudante na Seneca College, uma universidade em Toronto. As autoridades já confirmaram que o suspeito não está ligado a nenhuma organização terrorista.

Toronto. O que passou pela cabeça de Alek Minassian?

O condutor conduzia uma carrinha que seria alugada. O suspeito atingiu os pedestres que se encontravam no passeio a uma velocidade de 40 quilómetros por hora, suficiente para deixar um rasto de destruição. A carrinha seguia na Younge Street e começou a atropelar pessoas na Mel Lastman Square.

O veículo terá abandonado o local imediatamente após o sucedido e só parou depois de percorridos sensivelmente dois quilómetros. Enquanto estava a ser detido, Minassian apontou um objeto às autoridades e terá dito: Matem-me. Tenho uma arma no bolso”. Os agentes da polícia responderam: “Não queremos saber. Para baixo”. De seguida, pediram ao homem que colaborasse ou iriam disparar. “Disparem na minha cabeça!”, respondeu o condutor da carrinha. Este momentos foram registados num vídeo divulgado pela CBC News:

O ministro da Administração Interna, Ralph Goodale, revelou que se trata de um “incidente muito grave”. O presidente do município de Toronto,  fala numa “terrível tragédia” e apelou a todos os comerciantes a fechar os estabelecimentos e a mandar os empregados para casa. O serviço de metro foi suspenso entre as estações próximas do local. Os paramédicos estão a aconselhar as pessoas a evitar a área onde aconteceu o atropelamento.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, já expressou condolências e avançou que teria mais a dizer nas próximas horas. “O nosso pensamento está com todos aqueles que foram afetados pelo terrível incidente em Yonge Street e a Finch Avenue em Toronto. Obrigado a todos aqueles que estão a trabalhar na zona. Estamos a acompanhar a situação de perto”.