O Presidente da República condecorou esta segunda-feira os músicos Luísa e Salvador Sobral com o grau de comendadores da Ordem do Mérito, pelo “êxito singular” que alcançaram no ano passado com a vitória do festival da Eurovisão. Marcelo Rebelo de Sousa teve este gesto no final da cerimónia de entrega do Prémio Personalidade do Ano 2017 a Luísa e Salvador Sobral pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal (AIEP), na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O chefe de Estado referiu-se à vitória da canção “Amar pelos dois”, composta por Luísa Sobral e interpretada pelo seu irmão, Salvador Sobral, na final do festival da Eurovisão, em 13 de maio do ano passado, como um “êxito singular” que não poderia deixar de merecer uma distinção. “A quase um ano do momento vivido, existe já o distanciamento que faltava no turbilhão de factos e sentimentos então dominantes”, considerou o Presidente da República, acrescentando: “Este é o instante adequado para anunciar a condecoração com a Ordem do Mérito, atribuída em nome de Portugal”.

A Ordem do Mérito distingue “atos ou serviços meritórios praticados no exercício de quaisquer funções, públicas ou privadas, que revelem abnegação em favor da coletividade”.

Salvador Sobral pediu mais dinheiro para a cultura

Salvador Sobral apelou a que se aumente a fatia do orçamento para a cultura, considerando o valor atual “um bocadinho vergonhoso”, e que se baixe o IVA aplicado aos bilhetes dos espetáculos. Salvador Sobral deixou este apelo perante o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, e o Presidente da República.

“Espero também que estes prémios, estas condecorações sejam um incentivo para aumentar um bocadinho a fatia no Orçamento do Estado, para orçamentos do Estado futuros na cultura, porque isto é um bocadinho vergonhoso. E também para baixar o IVA nos bilhetes dos espetáculos, voltar a baixar aos 6%”, afirmou o cantor, no final desta cerimónia, realizada na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.