Rádio Observador

Lifestyle

Sabe o que a deusa Cloto e a cosmética têm em comum?

Da mitologia grega para as grandes inovações da cosmética de hoje, está a chegar a Portugal a última revolução que permite prevenir o processo de envelhecimento da pele.

A indústria da beleza está sempre a reinventar-se com novas tecnologias, novas fórmulas e novos ingredientes a serem descobertos e reformulados todos os anos. E por mais tecnológico que o mundo vá ficando, a verdade é que é graças a todos estes avanços que hoje conseguimos tirar cada vez mais partido do poder da natureza e levar a sabedoria ancestral a novos patamares de eficácia. Se na Grécia antiga o poder das deusas não passava de um mito, hoje esse mesmo poder torna-se real graças à tecnologia.

Da mitologia grega às revoluções na cosmética

Reza a lenda (ou os mitos), que na Grécia Antiga três irmãs teciam o fio da vida, decidindo a sorte e o destino dos deuses e dos seres humanos através da Roda da Fortuna. Uma das irmãs era Cloto.

É desta irmã que surgiu a inspiração para o nome do gene Klotho, presente no nosso organismo e também conhecido como a hormona da juventude. Se a Deusa Cloto decidia o destino da vida, Klotho atua sobre a nossa pele.

Um ingrediente revolucionário que começa agora a ser utilizado

O Clotholine™ é encontrado nas sementes da flor Centaurea cyanus, uma planta ancestral que floresce apenas uma vez por ano. E – o mais inacreditável – foi descoberta no ano 500 antes de Cristo nas Ilhas Britânicas, tendo depois sido trazida para a Europa.

É do interior desta planta que é extraída a Centcyamina, a molécula natural que dá origem ao Clotholine™, o primeiro ingrediente cosmético que ativa o gene Klotho e, como tal, consegue ativar a longevidade da pele ao proteger as células e estimular a sua renovação. A grande inovação é que, além de atuar fortemente no envelhecimento da pele, tal como Cloto, que tecia o fio da vida, este ingrediente também atua no interior, combatendo o stress e melhorando a sensação de felicidade, sociabilidade e auto-estima. Porque até as Deusas, além de mulheres com uma beleza divina, tinham uma grande componente mental e espiritual associada. É a este lado da beleza que o Clotholine™ vai buscar essa inspiração, não atuando apenas no exterior mas também no interior ao nível da saúde, felicidade e bem-estar.

Esta é a grande inovação a chegar a Portugal este verão com a marca SKINERIE, que permite preservar a pele do processo de envelhecimento natural. Ao ativar a produção de Kloto (+144%), o Clotholine™ acelera a renovação celular e os resultados são mais do que visíveis. A firmeza da pele é mantida, o tom de pele torna-se mais harmonioso e radiante e os resultados dos testes feitos provam que o uso prolongado do Clotholine™ também ajudou na recuperação das microestruturas e firmeza típicos de peles jovens e teve ação ao nível da redução de manchas significativas em 90% dos voluntários.

O segredo não está na deusa Cloto. Está na marca SKINERIE que chega às farmácias brevemente. Vai aguentar sem saber quando é que chega este grande lançamento?

Temos uma dica: falta uma semana.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)