Sporting

As novas mensagens que envolvem Desp. Aves e Tondela na teia de corrupção do Sporting

576

As mensagens reveladas pelo Correio da Manhã envolvem dois novos jogadores no alegado esquema de corrupção do Sporting. Tondela e Desp. Aves já reagiram. Esta é a explicação de todas as conversas.

Nelson Lenho terá sido corrompido logo na primeira jornada do campeonato

Mais um dia, mais mensagens de WhatsApp que levantam um pouco mais o pano sobre o alegado esquema de corrupção orquestrado por André Geraldes. Começou no andebol, arrastou-se para o futebol e é por lá que continua. Esta quarta-feira, soube-se que serão oito os jogos de futebol do Sporting, durante a temporada que agora terminou, que estão sob investigação.

As novas mensagens inserem-se no meio das primeiras que foram reveladas: ou seja, depois do jogo com o Vitória de Guimarães e antes de Paulo Silva, o intermediário, defender “Bruno”, o jogador do Feirense alegadamente subornado.

Se nessa primeira conversa a identidade deste jogador não ficava confirmada, agora torna-se claro que se trata de Bruno Nascimento, defesa central brasileiro do Feirense. E são acrescentados dois nomes: Nelson Lenho, capitão do Desp. Aves, que terá sido corrompido por outro intermediário que não Paulo Silva logo na primeira jornada do campeonato e Joãozinho, do Tondela.

Leia as novas mensagens reveladas pelo Correio da Manhã e a respetiva explicação.

A 27 de agosto, depois da goleada ao Vitória de Guimarães, o interlocutor João Gonçalves volta a contactar Paulo Silva: é tempo de “atacar”o Feirense, equipa que o Sporting defronta em Santa Maria da Feira, na 5.ª jornada do campeonato.

João Gonçalves: Vamos atacar o Feirense. Pensa num gajo. As regras são as mesmas. Só em caso de vitória e o gajo tem de estar mesmo connosco. Os valores depois falamos. Ainda não tenho dados concretos.

Paulo Silva: Estive aqui a ver na net e pensei no central brasuca Bruno Nascimento. Que dizes?

João Gonçalves: Pode ser uma boa opção. Logo já falamos melhor. Tenho de falar com o chefe.

Paulo Silva: Ok. Aguardo então. Até logo.

O “chefe” seria, novamente, André Geraldes. Paulo Silva sugere então Bruno Nascimento, central brasileiro de 26 anos. Mais tarde, o interlocutor apresenta os termos: só há pagamento se o resultado for uma vitória do Sporting e a proposta são 4 mil euros para o jogador e 500 para Paulo Silva. Os valores criam crispação entre os dois.

João Gonçalves: Podes avançar. Já sabes que só recebe se o resultado for a vitória. 4 mil mais os teus 500.

Paulo Silva: Ok. Mas eu ganho uma m… nisto e eles continuam a ir com os putos à missa. Se um dia isto dá raia eu estou f… e desamparado. Faço isto contrariado mas para combater o poder instalado tem de ser assim.

João Gonçalves mostra os primeiros sinais de descontentamento e revela que Paulo Silva não é o primeiro intermediário a fazer este tipo de contactos. Logo na primeira jornada, com o Desp. Aves — que curiosamente é o adversário do Sporting no domingo, na final da Taça de Portugal –, o lateral esquerdo Nelson Lenho terá sido corrompido. Nas imagens da partida, fica a ideia de que o defesa facilitou a progressão de Gelson Martins que deu origem ao primeiro golo dos leões.

João Gonçalves: Eh pá, não queres fazer não faças, eles logo arranjam outro. Na primeira jornada não fizeste nada e eles controlaram o Lenho. Portanto, se quiseres assim, tudo bem. Senão, é só dizeres.

Paulo Silva: Sabes que estou sem trabalho, preciso de comer. O Gonçalo tinha-me dito que me arranjaria alguma coisa junto de parceiros do Sporting e até agora nada.

João Gonçalves: Junto de parceiros do Sporting? Isso é que não, não pode haver nenhuma ligação tua a eles. Vou falar com eles e logo se vai arranjar alguma coisa, agora junto deles é que não. Nem o chefe quer de certeza, tu para eles não existes.

Paulo Silva dá a entender que Gonçalo Rodrigues, outro dos interlocutores com Geraldes e coordenador do Gabinete de Apoio ao Atleta e Modalidades Profissionais do Sporting, lhe tinha prometido um trabalho. João Gonçalves recorda a Paulo Silva que ele “não existe”. A tensão entre os dois é visível. João Gonçalves insiste. É preciso falar com Bruno Nascimento.

João Gonçalves: Estás a pensar falar com o brasuca quando?

Paulo Silva: Não sei, tenho de ver. Mas o jogo é só dia 8, temos muito tempo.

No dia seguinte, o interlocutor volta a tocar no assunto. Paulo Silva diz que já tem data marcada e Gonçalves recorda-o de que se tudo correr conforme previsto vão receber um prémio no final da temporada. O intermediário está “farto de promessas”.

João Gonçalves: Quando vais falar com o brasuca? Já tens o contacto?

Paulo Silva: Vou lá 2.ª feira. Tenho o número dele, vou marcar com ele. O jogo é 6.ª, não é?

João Gonçalves: Acho que sim. Mas atenção, muito cuidado. Se tudo correr bem, temos um prémio chorudo no fim da época.

Paulo Silva: Estou farto de promessas. Vamos indo, o final da época é só em junho. Caga para isso.

Paulo Silva: Vou falando com ele durante a semana, até ao dia D.

João Gonçalves: Não fales. Fala só no dia antes, para evitar armadilhas. Lembra-te do Freire, que se desbroncou todo. É preciso muito cuidado.

O alegado interlocutor de André Geraldes pede a Paulo Silva que só fale com Bruno Nascimento na véspera do jogo. E lembra-o de um caso que correu mal: a tentativa de suborno de Leandro Freire, defesa brasileiro que em 2016/17 jogava no Desportivo de Chaves.

Na altura, Freire foi contactado para integrar o esquema liderado por André Geraldes. Aceitou numa primeira fase mas acabou por recuar e denunciar as intenções do Sporting à direção do Chaves. O jogo em questão era o Desportivo de Chaves-Sporting, em janeiro de 2017, a contar para os quartos de final da Taça de Portugal. Os flavienses venceram por 1-0.

Depois do jogo com o Feirense – e apesar da vitória do Sporting, com um golo de grande penalidade ao sétimo minuto de descontos -, André Geraldes não terá ficado satisfeito com a prestação de Bruno Nascimento. João Gonçalves garante que não vai existir qualquer pagamento.

João Gonçalves: O chefe está todo f… O gajo não fez nada, não vai pagar nada.

Paulo Silva: Não fez nada??? Só podes estar a brincar.

João Gonçalves: Quem parecia que estava controlado foi o gajo que fez o penálti… agora ele, fez o quê? Se não fosse o outro a fazer aquele disparate tinham empatado.

Paulo Silva: Olha, João, nem comento. Faltas à entrada da área, espaço ao Dost, houve um lance em que entrou pela baliza adentro e aleijou-se…não fez nada??? Deve ter visto um jogo diferente, só pode. Não quer pagar não paga. Estou-me a cagar para isso, mas eu é que dou a cara e quero, pelo menos, receber o meu para fazer face às minhas despesas. Não sou a Santa Casa.

João Gonçalves: Sabes as regras. Só ganhas se tudo correr como o previsto. Mas vou falar com ele sobre isso e se não estiver satisfeito com o teu trabalho que arranje outro.

Paulo Silva: Por mim está completamente à vontade. Não estou é para filmes destes, não mesmo. Eu sou do Sporting, não sou do A, do B ou do C. Nem os conheço de lado nenhum, f… que é isto? Não paga??? Eu não sou remunerado pelo Sporting, não tenho cartões de despesas, estão f… comigo.

Entretanto, Paulo Silva fala com o jogador brasileiro. De acordo com o intermediário, Bruno Nascimento diz que ele próprio teria feito o penálti se o colega de equipa não tivesse cometido esse erro. André Geraldes reconsidera: mas paga apenas a Paulo Silva.

João Gonçalves: Falei com o chefe e ele paga as tuas despesas.

Dias depois, novo desafio. A 16 de setembro, o Sporting recebe o Tondela em Alvalade. Desta vez, a escolha do jogador a contactar não fica a cargo de Paulo Silva. O eleito é Joãozinho, lateral esquerdo que já alinhou pelos leões.

João Gonçalves: O próximo é o Tondela. Vais falar com o Joãozinho que já jogou no Sporting. Mas é a tua última oportunidade, se dizem que estão têm de estar. Não é dizerem uma coisa e fazerem outra. Depois arranjo o contacto ou arranja tu.

Paulo Silva: Ok. Não me está a dar nada. Última oportunidade???? Está certo.

João Gonçalves: Tens a certeza que está certo?

Paulo Silva: Acho que sim. Mas como já houve um porco que andou de bicicleta só no fim posso tirar ilações.

João Gonçalves: Ok. Era bom que corresse bem. Eles são capazes de perguntar se falaste com ele.

Paulo Silva: Perguntem e ele se for sério diz que alguém falou. Ele não sabe o meu nome.

O Sporting vence por 2-0. Ainda assim, Joãozinho é considerado um dos melhores jogadores em campo. André Geraldes fica furioso.

João Gonçalves: O gajo disse a eles que ninguém falou com ele. Ele foi dos melhores do Tondela. O chefe esta f….

Paulo Silva: Disse isso? Ele até pode dizer que o Porto fica no Algarve que a mim não me interessa. Sei bem que lhe ofereci 5 e sei o que ele me disse. Agora, se pôs a mão na consciência e se arrependeu nada posso fazer.

João Gonçalves: Eles pediram a uma pessoa amiga dele para lhe perguntar e ele disse que ninguém falou e se tivessem falado ele tinha ajudado.

Paulo Silva: Ahahah tretas.

João Gonçalves: Vê lá o que andas a fazer que eu não me quero f… com eles. Eles confiam em mim.

Esta quarta-feira, Paulo Silva, João Gonçalves, Gonçalo Rodrigues e André Geraldes foram detidos. Passaram a noite na Polícia Judiciária do Porto e ainda se aguardam medidas de coação. O Desp. Aves manifestou “total confiança” em Nelson Lenho e o Tondela pediu o “rápido e cabal esclarecimento da verdade”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)