Em 1927, o neto de Adam Opel, o fundador da marca alemã, decidiu construir um veículo para bater o recorde de velocidade. Fritz von Opel, assim se chamava o mais ousado da família Opel, aliou-se ao astrónomo Max Valier e a Friedrich Sander, especialista em foguetes a combustível sólido. Cerca de um ano mais tarde, em Março de 1928, o primeiro protótipo do que parecia um foguetão com rodas estava pronto para rumar à pista de ensaios da Opel, em Rüsselsheim.

Locomovido por 12 foguetes a combustível sólido, o protótipo Rak atingiu 100 km/h ao fim de 8 segundos, com Fritz e os seus amigos a concluírem que a pista era demasiado curta para que o método de propulsão revelasse todo o seu potencial.

Com uma versão melhorada do veículo, baseado num chassi dos Opel 10/40, mas já com 24 foguetes na traseira – o que assegurava um impulso de 6 toneladas –, o Rak2 atingiu um recorde de 238 km/h, perante 3.000 espectadores, entre os quais muitos representantes da alta sociedade alemã da época.

Assim que carregava no pedal da ignição, os foguetes começavam a rugir atrás de mim, impulsionando-me para a frente e fazendo desaparecer tudo o que estava à minha volta”, recordou Fritz von Opel.

O sucesso do Rak2 levou a mais uma tentativa, agora com o Rak3, com a velocidade máxima a ficar desta vez fixada em 256 km/h. A grande depressão cortou as asas a von Opel e ao seu sonho de bater recordes, mas o seu foguetão sobre rodas ficou para a história.