Negócios

Volume de negócios dos estabelecimentos hoteleiros subiu 16,6% em 2017

De acordo com o estudo Setores da Informa D&B "Estabelecimentos Hoteleiros", o número de hóspedes superou 20,6 milhões em 2017, um crescimento de 8,9% face a 2016.

PETER KOLLANYI/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O volume de negócios dos estabelecimentos hoteleiros cresceu 16,6% no ano passado, atingindo 3.620 milhões de euros, sustentado pelo desempenho da procura portuguesa e estrangeira, segundo um estudo divulgado esta terça-feira.

De acordo com o estudo Setores da Informa D&B “Estabelecimentos Hoteleiros”, o número de hóspedes superou 20,6 milhões em 2017, um crescimento de 8,9% face a 2016, enquanto as dormidas aumentaram 7,4% para 57,5 milhões. O número de hóspedes nos hotéis cresceu quase 10%, até aos 16,1 milhões, destaca-se no estudo.

As dormidas de residentes em Portugal cresceram 5,2%, para 15,9 milhões, representando 27,6% do total. Já as dormidas da população estrangeira subiram 11,5%, com destaque para os residentes dos Estados Unidos (+21,2%), da Polónia (+20,4%) e de França (+18,5%). Os britânicos mantiveram-se em 2017 como os estrangeiros mais importantes, assumindo 16,1% das dormidas totais.

A capacidade hoteleira em Portugal aumentou em 2017. Considerando hotéis, estalagens, hotéis-apartamentos, motéis, pensões e pousadas, o número total de camas cresceu cerca de 5%, atingindo quase 381 mil, enquanto o número de estabelecimentos subiu 11%, para 4.805.

Mais de metade (52,9%) do total de camas correspondiam a hotéis, seguindo-se as estalagens, motéis e pensões (20,8%), os aparthotéis (11,6%), os apartamentos turísticos (8,8%), os aldeamentos turísticos (5%) e as pousadas (0,9%).

Do ponto de vista geográfico, observa-se uma concentração da atividade setorial nas zonas do Algarve, onde se localizam 33% das camas, e Lisboa, com cerca de 20%.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
António Costa

O caminho para lado nenhum /premium

Rui Ramos

O sucesso de António Costa reflecte a capacidade de que a oligarquia política continua a dispor, numa sociedade envelhecida e dependente, de fazer pagar por todos o que só beneficia alguns. 

António Costa

O caminho para lado nenhum /premium

Rui Ramos

O sucesso de António Costa reflecte a capacidade de que a oligarquia política continua a dispor, numa sociedade envelhecida e dependente, de fazer pagar por todos o que só beneficia alguns. 

Assalto em Tancos

Tancos: é ainda pior do que parece

Bruno Cardoso Reis

Se é certo que em Portugal as Forças Armadas sempre serviram para bem mais do que fazer a guerra, hoje em dia essas outras tarefas são cada vez mais numerosas e cada vez mais vitais. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)