De manhã, havia registo da proibição de Sousa Cintra, o novo líder interino da SAD nomeado pela Comissão de Gestão chefiada por Artur Torres Pereira, entrar nas instalações do clube; a seguir ao almoço, Fernando Correia, porta-voz do Conselho Diretivo destituído no passado sábado em Assembleia Geral, assegurou que Bruno de Carvalho, líder cessante, estava em Alvalade à espera do antigo presidente verde e branco, entre 1989 e 1995. Pelo meio, houve um dado que pode ter mudado tudo.

De acordo com uma publicação no portal do Ministério da Justiça, da Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, sobre “Cessação de funções de membros dos órgãos”, é explicado que Bruno de Carvalho deixou de ser presidente da SAD do Sporting, sendo designado também, por cooptação, Sousa Cintra como novo líder da sociedade.

De referir que, no seguimento da Assembleia Geral do clube de sábado, a Comissão de Gestão marcou uma conferência em Alvalade ao final da tarde e Sousa Cintra foi apresentado como o novo número 1 da SAD.

“Conversas com os jogadores que rescindiram? É um assunto para falarmos depois. Mas acho bem que aqueles que saíram possam volta. É prematuro falar agora nisso mas vamos resolver todos esses problemas, Temos de procurar a solução para honrar todos os compromissos do Sporting. Hoje, o Sporting voltou a ser um clube de confiança”, salientou o empresário.

Já Bruno de Carvalho, que terá deixado hoje de estar suspenso da condição de sócio, editou o post que tinha feito a propósito do anúncio de Sousa Cintra como novo líder da SAD, onde classificou o empresário como “homem do tremoço”. “Se é assim que o Torres Pereira quer então vou à luta! Não Sousa Cintra, não és o presidente da SAD pois para isso tens de passar por muitos passos. Agora acabou. Querem guerra. Eu compro! Vou impugnar a AG e o presidente da SAD ainda sou eu! Vou a eleições. Vamos ver quem vence”. No novo texto, assegura que não irá impugnar a AG mas que será candidato à liderança.