Pablo Casado foi eleito o novo líder do Partido Popular, avança o jornal El País. A contagem oficial dos votos dá 1.701 votos a Casado, contra 1.250 votos a favor de Soraya Sáenz de Santamaría. Ao todo, o censo eleitoral conta com 3.082 votos. A leitura oficial dos dados foi feita às 14h10 (13h10, hora local).

Pablo Casado torna-se, assim, o novo líder do Partido Popular com 57,2% dos votos, contra 42% dos votos para Santamaría.

No primeiro discurso enquanto líder do PP, Pablo Casado referiu, diante de uma plateia cheia, que vai continuar a chamar Rajoy de presidente, agradeceu Santamaría pelo trabalho feito até então e afirmou que o PP é uma das “colunas vertebrais do sistema democrático espanhol”. Casado falou ainda do fortalecimento do partido, que vai voltar a tentar “conquistar o coração de todos os espanhóis” e vai “preparar um projeto vencedor nas próximas eleições”. “Não vos vou defraudar”, garantiu.

Numa primeira reação, Soraya Sáens de Santamaría reconheceu a derrota aos jornalistas presentes no congresso e afirmou que o mais importante é a existência de um “partido unido”.

Mariano Rajoy manteve a neutralidade até ao final, diz o El Mundo. Rajoy não participou na votação para eleger o seu sucessor.

O jornal espanhol El País escrevia, ainda durante a manhã, que o cenário era de uma “incerteza total”, com os dirigentes a referirem-se a uma situação de “empate técnico”.

Esta foi uma manhã de discursos, tanto de Pablo como de Soraya, protagonizados perante os mais de 3.000 delegados do congresso, para tentar convencer os últimos indecisos. Enquanto Soraya Sáens de Santamaría, delfim de Rajoy e ex-vice-presidente do Governo, se apresentava como “candidata das bases” e totalmente fiel ao partido (“morrerei sendo do PP”, disse), já Pablo Casado, vice-secretário de comunicação do partido, prometia unidade e dizia estar orgulhoso de “Fraga [Iribarne], de [José Maria] Aznar y de [Mariano] Rajoy”, os ex-líderes históricos do PP.

Pablo Casado e Soraya Sáenz de Santamaría foram os dois candidatos mais votados nas eleições primárias internas — a mulher dez anos mais velha do que Casado ficou à frente na primeira volta. Soraya conseguiu 21.513 votos e Pablo Casado outros 19.967 votos nesta primeira volta.

María Dolores de Cospedal, com 15.090 votos, ficou para trás na primeira volta. A ex-ministra da Defesa chegou a ser apontada como uma das grandes favoritas, juntamente com Santamaría, que foi vice-Presidente de Governo. Mas assim que as urnas fecharam, concluída a primeira volta, os jornais espanhóis voltaram-se para Pablo Casado, vice-secretário de comunicação do PP.

No início de maio, Mariano Rajoy demitiu-se da liderança do PP no decorrer de reunião do Comité Executivo Nacional do partido. A demissão foi seguida da convocatória de um congresso extraordinário e aconteceu na sequência da moção de censura, lançada por Pedro Sanchéz que afastou o Partido Popular do Governo espanhol. Depois de 14 anos à frente do Partido Popular (incluindo sete anos ao comando do Governo espanhol), Mariano Rajoy despediu-se esta sexta-feira à noite dos colegas militantes com um discurso longo, onde não faltaram farpas à “conspiração de perdedores independentistas”.