Eleições

Emmanuel Macron saúda ausência de Kabila nas eleições presidenciais da República Democrática do Congo

O Presidente francês, Emmanuel Macron, saudou a decisão do Presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila, de não se recandidatar nas eleições presidenciais de 23 de dezembro.

MICHEL EULER / POOL/EPA

O Presidente francês, Emmanuel Macron, saudou a decisão do Presidente da República Democrática do Congo (RD Congo), Joseph Kabila, de não se recandidatar nas eleições presidenciais de 23 de dezembro, anunciou esta quinta-feira o Palácio do Eliseu. Emmanuel Macron “presta homenagem à ação do Presidente Kabila pela unidade e integridade da República Democrática do Congo”, indica o comunicado da Presidência francesa, citado pela agência de notícias France-Presse (AFP).

“Juntamente com os seus parceiros e, em particular, com a União Africana, organizações regionais e países vizinhos, a França está pronta para acompanhar os esforços das autoridades da RD Congo para realizarem eleições livres, transparentes e inclusivas a 23 de dezembro”, refere a nota do Eliseu.

Na quarta-feira, o Presidente da RD Congo, Joseph Kabila, nomeou o antigo ministro do Interior Emmanuel Ramazani Shadary, como candidato pelo Partido Popular pela Reconstrução e Democracia nas eleições presidenciais.

No mesmo dia, a diplomacia francesa saudou a “decisão histórica na África Central”, pedindo “respeito pelos marcos que levarão às eleições de 23 de dezembro a concretizarem-se da melhor forma possível”. Segundo a Comissão Eleitoral Independente, até ao momento, 23 candidatos apresentaram as suas candidaturas para as eleições presidenciais na República Democrática do Congo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PS

O PS é viciado em fake news /premium

João Marques de Almeida
1.620

Os antigos amigos e antigos camaradas de Sócrates que hoje nos governam andam agora muito preocupados com as fake news, quando o actual PS não perdeu os velhos hábitos de ser económico com a verdade. 

Política

O MOV 5.7 /premium

João Marques de Almeida
291

Nos últimos 25 anos, as direitas têm servido para limpar a casa socialista quando a festa chega ao fim. Depois da casa arrumada e limpa, os socialistas regressam para mais festa. Não tem de ser assim.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)