Fazer um objeto para a secretária com a Viarco, pintar uma peça de cerâmica com a Vista Alegre ou até construir um candeeiro. Depois de uma primeira edição em 2017, a Portuguese Makers Craft Week está de volta com uma semana de workshops onde a regra é aprender com quem mais percebe do assunto e pôr as mãos na massa.

De 3 a 8 de setembro, Serralves será o palco da iniciativa que pretende chamar a atenção para o made in Portugal e “mostrar como as coisas são feitas” num país que sabe tão bem fazê-las. Quem o diz é Ana Bruto da Costa, metade da dupla (juntamente com o marido Vasco) que quis pôr uma Craft Week de pé quando percebeu, há cerca de três anos e na altura a viver na Suíça, que muitas marcas e ateliês de design internacionais recorriam a Portugal para produzirem as suas peças.

À semelhança do que aconteceu na edição anterior, cada dia será dedicado a uma técnica diferente, com tempo para trocar contactos entre os participantes e os designers convidados a conduzir os workshops (o chamado networking), e até para fazer um passeio pelo Porto numa carrinha “pão de forma”, ou não fossem a maioria dos inscritos de origem internacional.

Terça-feira, dia 4, Gonçalo Prudêncio vai guiar os participantes na construção de um objeto de secretária feito a partir de desperdícios de lápis Viarco; dia 5 é a vez de Nicholai Wiig Hansen — designer que tem colaborado com a Ikea e tem uma marca de cerâmica — conduzir o workshop de pintura e personalização de uma peça Vista Alegre; quarta-feira Joana Astolfi vai desafiar os aprendizes a pensar como é que uma embalagem pode valorizar um objeto — e logo a partir de um sabonete da Claus Porto, marca conhecida pelos rótulos mais do que bonitos; e na quinta-feira será a vez de fazer um candeeiro com a marca Get a Light, a partir de cinco formas de luz à escolha.

Os workshops irão decorrer nos jardins de Serralves, num ambiente informal, e “o objetivo é que cada participante saia sempre com um objeto”, explica Ana Bruto da Costa, sendo que este ano há uma novidade: “No final iremos selecionar alguns protótipos para serem produzidos pela Portuguese Makers e a Fundação de Serralves”, diz a arquiteta. Os objetos serão produzidos em Portugal, como não podia deixar de ser, e posteriormente colocados à venda na própria loja da fundação e outra lojas de museus.

Os workshops irão decorrer na zona da quinta de Serralves, no Porto. © Divulgação

Cada aula prática dá para 15 a 25 participantes e, ao contrário do que possa parecer, tirando a compra do bilhete não é necessário nenhum conhecimento especial na matéria. “Quem nos procura não são só profissionais da área”, diz Ana, como designers e arquitetos. “Na primeira edição tivemos desde uma ilustradora a uma pessoa que desenha aviões e os workshops são pensados para quem não sabe nada sobre o tema mas aprofundados o suficiente para quem já sabe.” O que une toda a gente? Querer fazer coisas com as mãos. E em Portugal, claro.

O quê? Portuguese Makers Craft
Onde? Fundação de Serralves
Quando? De 3 a 8 de setembro. Programa completo aqui
Quanto? 150€ (1 dia), 480€ a semana completa. Ver mais informações aqui