Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em 12 épocas de existência da competição, Benfica e Taça da Liga criaram uma relação feliz, com uma certa estabilidade, e muitas, muitas comemorações pelo meio. Mais de metade das edições foram conquistadas pelos encarnados, que levantaram o troféu por sete ocasiões, mais do que todos os restantes vencedores juntos (V. Setúbal, Sp. Braga, Moreirense e Sporting). É, portanto, uma relação que não envolve exclusividade, mas onde, mais tarde ou mais cedo, águias e Taça acabam por se encontrar em momentos de felicidade para os adeptos benfiquistas.

E já lá vão 50 jogos do Benfica na prova, pelo que, à devida proporção, se podem considerar cumpridas as bodas de ouro de uma relação que tem trazido frutos ao conjunto da Luz: 106 golos apontados e apenas 36 sofridos, numa média superior a dois golos por encontro e menos de 45 minutos para marcar cada um.

Vencedores em 2008/09, 2009/10, 2010/11, 20011/12, 2013/14, 2014/15 e 2015/16, os encarnados há duas épocas que vêem a sua Taça de eleição fugir para os opositores, com Moreirense e Sporting a arrecadarem as duas últimas edições. Não é por isso de estranhar que o Benfica viesse de uma série negra na prova, a única pela qual passou, na realidade: eram já quatro os jogos consecutivos sem vencer numa série iniciada na meia-final de 2017 frente ao Moreirense e terminada este sábado na Luz.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com um total de 42 vitórias em todas as edições da prova, os encarnados só não ganharam em oito ocasiões, sendo que apenas perderam duas vezes: na meia-final frente ao Moreirense, no Estádio Algarve, e na quarta eliminatória da edição inaugural, frente ao V. Setúbal (vencedor desse ano), no Bonfim.

Em casa, o Benfica não vencia desde 2016/17, depois de dois empates consecutivos na temporada passada, onde o clube da Luz não passou da fase de grupos. Para já, os encarnados estrearam-se na edição deste ano com um precioso triunfo caseiro que aumentou para 24 o total de vitórias em casa e deixou o Benfica na liderança do grupo A — meio caminho andado para dar continuidade a uma relação de amor com a Taça da Liga, que só tem tendência para aumentar.