A última reunião entre o ministro dos Transportes alemão, Andreas Scheuer, e o CEO do Grupo Volkswagen, Herbert Diess, que teve lugar na quarta-feira, foi determinante para se chegar a um acordo entre as autoridades germânicas e o fabricante que mais veículos com motor a gasóleo tem a circular na Alemanha, bem como no resto da Europa. Segundo o Spiegel, a Volkswagen está pronta a recuperar antigos motores diesel, mas continuando a recusar readquirir esses mesmos veículos com software manipulado.

Para recuperar os antigos motores a gasóleo, o fabricante propõe dois tipos de soluções. Por um lado, suportando os custos inerentes à montagem de sistemas de tratamentos de gases de escape mais eficientes, por outro, incentivando financeiramente a troca dos veículos antigos por outros novos. O Governo alemão privilegia esta última solução, mas não de forma unânime, pois se o ministro do Ambiente se sente confortável com a solução do “retrofit”, com custos que deverão rondar os 3.000€ por veículo, o seu colega dos Transportes prefere os incentivos à troca por veículos novos, aparentemente por não acreditar na alternativa.

Andreas Scheuer, ministro dos Transportes alemão, lidera o ataque às marcas germânicas

Esta abertura do Grupo Volkswagen para resolver o problema surge como uma novidade, na medida em que numa reunião prévia, que decorreu no domingo anterior e juntou representantes do Governo alemão e todos os fabricantes germânicos, não se tinha chegado a um compromisso para a reparação e actualização de motores diesel mais antigos e poluentes. Nessa ocasião, o acordo falhou sobretudo depois de Andreas Scheuer ter deixado claro que não haveria dinheiro público a suportar, nem que fosse parcialmente, os custos das referidas reparações.