Sobe para doze o número de vítimas mortais causadas por uma tromba de água e inundações na Ilha de Maiorca, em Espanha, e há registo oficial do desaparecimento de um menino de 5 anos. As 11.ª e 12.ª vítimas mortais foram confirmadas esta quinta-feira pelos serviços de emergência e trata-se de um casal alemão que estava desaparecido depois de o carro onde seguiam ter sido arrastado pela água.

Há pelos menos 20 feridos e desaparecidos, de acordo com estimativas das autoridades locais, um deles confirmados oficialmente – um menino de 5 anos. A delegada do Governo em Baleares, Rosario Sánchez, confirma, ao mesmo jornal, que foi uma noite dura, mas acredita que mais duro será o dia.

De acordo com as autoridades locais, duas das vítimas são de nacionalidade britânica e viviam em Sant Llorenç. Entre os desaparecidos, estarão moradores, turistas britânicos e outras pessoas que estariam alojadas em residências de agroturismo.

Em apenas duas horas, caíram mais de 220 litros de água por metro quadrado. Na internet já circulam vídeos da enxurrada.

No terreno estão mais de 500 homens para ajudar nos trabalhos de resgate, confirmou a Delegação do Governo ao El Mundo. Só de Valência partiram 80 militares e sete veículos da Unidade Militar de Emergências (UME).

A tromba de água em  Sant Llorenç, no este da ilha de Maiorca e a cerca de 60 quilómetros de Palma, deixou mais de 200 pessoas desalojadas.  O jornal espanhol El País, confirma haver uma centena de pessoas a passar a noite no polidesportivo de Manacor, para quem não consiga chegar às suas casas ou para quem teve de as abandonar devido às inundações ou aos danos causados.

Às 8h30 horas (hora local) foi convocada uma reunião do grupo assessor autonómico para lidar com situações de crise, como esta gerada pelas cheias, na sede do 112 para coordenar os trabalhos levados a cabo na comarca de Levanta. Para o encontro foi convocada a Presidente do Governo Balear, Francina Armengol,  que informou, no Twitter, estar em contacto com a vice-presidente do Governo, Carmen Cavo e restantes membros do executivo central.

O Governo Balear decretou 3 dias de luto.

(em atualização)