Web Summit

Web Summit começa hoje em Lisboa com intervenção do inventor da web

A Web Summit arranca esta segunda-feira, em Lisboa, com o inventor da web, Tim Berners-Lee, e o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a abordar o futuro digital.

MIGUEL A. LOPES/EPA

A Web Summit arranca esta segunda-feira, em Lisboa, com o inventor da web a partilhar a sua visão sobre a rede que criou há quase 30 anos e o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a abordar o futuro digital.

Pelas 17h00, abrem as portas daquela que é a terceira edição da Web Summit em Lisboa e, para dar as boas-vindas aos mais de 70 mil participantes esperados, a organização promove no exterior, antes das intervenções da cerimónia de abertura, um “Opening Night Festival”, para os primeiros contactos.

A abertura oficial, no palco principal da cimeira, só chega pelas 18h30, com uma intervenção do presidente executivo do evento, Paddy Cosgrave, que introduzirá os oradores.

A inaugurar os discursos estará o físico britânico Tim Berners-Lee, que inventou a rede mundial de acesso à internet (worldwide web www) há quase 30 anos. Naquela que é a sua primeira vez no evento, Tim Berners-Lee vai falar sobre a sua visão para esta rede, que criou em 1989, tendo inicialmente como objetivo que a web fosse de livre acesso e servisse a humanidade.

Em seguida, será a vez de a vice-presidente nas áreas sociais e ambientais da Apple, Lisa Jackson, intervir sobre “Negócios bons que fazem bem”, relacionando a atividade da gigante tecnológica com os seus objetivos sustentáveis, nomeadamente a aposta em energias renováveis.

E porque a tecnologia também está relacionada com o cinema, nomeadamente os efeitos especiais, seguir-se-á em palco o cineasta norte-americano Darren Aronofsky, diretor da Protozoa Pictures e conhecido por filmes como Pi (1998), A vida não é um sonho (2000) e Mãe (2017).

O último orador é o português António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Numa intervenção de 15 minutos sobre como criar “um futuro digital seguro e benéfico para todos”, aquele responsável vai partilhar a sua visão sobre o aproveitamento das novas tecnologias, salvaguardando ainda os perigos da inovação.

Chegam depois os cumprimentos do primeiro-ministro, António Costa, e do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina. Para quem resistir, o “Opening Night Festival” continua pelas 20h00 e até à meia-noite nas imediações do evento, junto ao rio, na Rua do Bojador.

Segundo a organização, esta edição da Web Summit, que decorre até quinta-feira no Altice Arena (antigo Meo Arena) e na FIL, no Parque das Nações, será “a maior e a melhor” de sempre.

Além do alargamento do espaço, na edição deste ano haverá três novos palcos na Web Summit: o “DeepTech”, no qual estará em foco o impacto de tecnologias como a computação e a nanotecnologia na indústria e na vida quotidiana, o “UnBoxed”, onde críticos de tecnologia irão analisar produtos eletrónicos, e ainda a “CryptoConf”, que debaterá assuntos como as moedas digitais.

Ao todo, serão 25 diferentes conferências dentro de uma só cimeira. À semelhança das outras edições, haverá eventos paralelos à cimeira, como as ações de convívio noturnas Night Summit, no LX Factory, e as festas de final de dia Sunset Summit, no Pavilhão Portugal.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo Web Summit nasceu em 2010 na Irlanda. Em 2016, a cimeira mudou-se para Lisboa, com uma previsão inicial de ficar três anos.

Porém, em outubro deste ano, foi anunciado que o evento continuará a ser realizado em Lisboa por mais 10 anos, ou seja, até 2028, mediante contrapartidas anuais de 11 milhões de euros e a expansão da Feira Internacional de Lisboa (FIL).

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)