Família Real Britânica

Príncipe Carlos: “Eu, a intrometer-me enquanto rei? Não sou assim tão estúpido”

132

O Príncipe Carlos garante estar consciente de que o seu papel enquanto soberano e herdeiro será completamente diferente. As declarações do herdeiro da coroa surgem num documentário da BBC.

Getty Images

O Príncipe Carlos, herdeiro do trono, garante que tem a consciência de que o seu papel enquanto soberano e herdeiro será diferente e, por isso, irá mudar o seu comportamento. “Não sou assim tão estúpido”, é uma das declarações mais fortes que o príncipe britânico faz à BBC, num documentário que estreia esta quinta-feira, às 21h00, para assinalar o seu 70.º aniversário.

De forma a acabar com as preocupações de que será um rei “intrometido” ou até ativista, o Príncipe Carlos afirma que tem a plena noção de que irá desempenhar um papel totalmente diferente e que vai tentar, como sempre tentou, ser um político não-partidário, sublinhando: “É vital recordar que apenas há espaço para um soberano de cada vez. Não dois.”.

Não podes ser o mesmo que o rei se és o Príncipe de Gales ou o herdeiro. Mas a ideia de que de alguma forma vou ser exatamente da mesma forma (…) não faz sentido nenhum porque são duas situações completamente diferentes”, afirma o Príncipe Carlos no documentário.

Carlos tem sido alvo de muitas críticas nos últimos face à sua campanha em questões como o cultivo de produtos geneticamente modificados, a medicina integrada ou as mudanças climáticas. Contudo, é no documentário intitulado “Prince, Son and Heir, Charles at 70” (Príncipe, Filho e Herdeiro, Carlos aos 70) que o filho de Isabel II garante que, enquanto rei, não vai fazer as mesmas coisas que fez como herdeiro.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD

Quando o Papa não é católico /premium

Rui Ramos

Para o PSD, a exclusão do PCP e do BE é a grande prioridade nacional. Mas para isso, é indiferente votar PSD ou PS. Como explicaram os quadros do BCP, uma maioria absoluta do PS também serve.

Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)