Família Real Britânica

Príncipe Carlos: “Eu, a intrometer-me enquanto rei? Não sou assim tão estúpido”

132

O Príncipe Carlos garante estar consciente de que o seu papel enquanto soberano e herdeiro será completamente diferente. As declarações do herdeiro da coroa surgem num documentário da BBC.

Getty Images

O Príncipe Carlos, herdeiro do trono, garante que tem a consciência de que o seu papel enquanto soberano e herdeiro será diferente e, por isso, irá mudar o seu comportamento. “Não sou assim tão estúpido”, é uma das declarações mais fortes que o príncipe britânico faz à BBC, num documentário que estreia esta quinta-feira, às 21h00, para assinalar o seu 70.º aniversário.

De forma a acabar com as preocupações de que será um rei “intrometido” ou até ativista, o Príncipe Carlos afirma que tem a plena noção de que irá desempenhar um papel totalmente diferente e que vai tentar, como sempre tentou, ser um político não-partidário, sublinhando: “É vital recordar que apenas há espaço para um soberano de cada vez. Não dois.”.

Não podes ser o mesmo que o rei se és o Príncipe de Gales ou o herdeiro. Mas a ideia de que de alguma forma vou ser exatamente da mesma forma (…) não faz sentido nenhum porque são duas situações completamente diferentes”, afirma o Príncipe Carlos no documentário.

Carlos tem sido alvo de muitas críticas nos últimos face à sua campanha em questões como o cultivo de produtos geneticamente modificados, a medicina integrada ou as mudanças climáticas. Contudo, é no documentário intitulado “Prince, Son and Heir, Charles at 70” (Príncipe, Filho e Herdeiro, Carlos aos 70) que o filho de Isabel II garante que, enquanto rei, não vai fazer as mesmas coisas que fez como herdeiro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Descobrimentos

Uma lança em África /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Neste tempo, em que muitos se orgulham do que os deveria envergonhar, também há quem se envergonhe das glórias da história de Portugal.

Política

Precisamos da Esquerda

António Pedro Barreiro

Na guerra cultural em curso, a nova Esquerda esqueceu o povo e assumiu a defesa da excentricidade das elites. Eu, que não sou de Esquerda, acho que uma outra Esquerda faz falta ao sistema político.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)