Rádio Observador

Michael Schumacher

Mulher de Schumacher escreveu carta sobre o piloto em 2014: “É um lutador e não vai desistir”

247

Em dezembro de 2014, um ano depois do acidente de Schumacher, a mulher do piloto escreveu uma rara carta onde falou sobre estado de saúde do marido. "É um lutador e não vai desistir", disse Corinna.

Corinna e Michael Schumacher estão casados desde agosto de 1995

AFP/Getty Images

A 29 de dezembro de 2013, Michael Schumacher, o maior campeão de sempre da Fórmula 1, estava com a família a esquiar numa zona fora da pista da estância de Meribel, nos Alpes Suíços, quando sofreu um acidente. Com 44 anos e depois de mais de 20 a desafiar a vida nas pistas, foi na neve que sofreu o maior de todos os acidentes: embateu com a cabeça numa rocha, o capacete rachou e ficou em coma. Só regressou a casa em setembro de 2014. E se enquanto o piloto esteve internado a informação sobre a sua situação clínica ia sendo regular, o mesmo não acontece desde que saiu do hospital: no dia em que regressou a casa, a mulher de Schumacher, Corinna, agradeceu o apoio e afirmou que não voltaria a falar publicamente sobre o estado de saúde do marido.

E assim foi. Mas agora, quase cinco anos depois do acidente de Schumacher, surge a notícia de que Corinna falou sobre o estado do marido cerca de um ano após aquele dezembro de 2013. Em entrevista à revista alemã Bunte, o músico Sascha Herchenbach revelou que a mulher do piloto alemão lhe escreveu uma carta a agradecer pela música que compôs, dedicada a Schumi. O cantor alemão escreveu “Born To Fight”, nascido para lutar, em português, em homenagem ao piloto e enviou um CD a Corinna.

“Gostaria de lhe agradecer sinceramente pela mensagem e pelo bonito presente que nos vai ajudar neste momento difícil. É bom receber tantos desejos gentis e outras palavras bem intencionadas — que são um grande apoio para a nossa família. Todos sabemos que o Michael é um lutador e não vai desistir”, escreveu Corinna Schumacher, numa carta escrita à mão e enviada ao músico alemão em dezembro de 2014. Na entrevista à Bunte, Sascha Herchenbach explicou que não estava à espera de qualquer resposta e ficou “assoberbado”.

Em 2016, houve alguma especulação sobre o real estado de saúde do piloto, inclusive com a CNN a citar informações de uma fonte que garantia que Schumacher ainda não conseguia andar. Nada foi confirmado, a não ser um caso “paralelo”: um alemão de 54 anos que trabalhava na empresa Rega, especializada em transportes aéreos via helicóptero, foi detido por ter alegadamente roubado alguns prontuários médicos sobre o estado de saúde do piloto e encontrado morto quando estava detido em Zurique. Circulou também que havia um paparazzo com imagens exclusivas de Schumi mas as mesmas (que custariam uma fortuna) nunca chegariam a ser tornadas públicas, num processo que envolveu também uma investigação por alegada violação da privacidade.

Em paralelo, estima-se que a família tenha gasto já vários milhões de euros em cuidados médicos com o antigo campeão da Fórmula 1, tendo em conta os alegados 140 mil euros semanais pagos à equipa de 15 pessoas liderada por Richard Frackowiak. Em 2017 soube-se também que a família de Michael Schumacher (considerado pela revista Forbes o quinto desportista com mais rendimentos de sempre, apenas atrás de Michael Jordan, Tiger Woods, Arnold Palmer e Jack Nicklaus) vendeu alguns dos seus bens, como uma mansão que tinha perto de Oslo, na Noruega, um Rolls Royce e o avião particular.

O silêncio de Corinna Schumacher é normalmente complementado por alguns comunicados de Sabine Kehm, a manager do piloto, que ainda há alguns dias esteve na apresentação de um novo poster de Michael Schumacher, que tem como objetivo a angariação de fundos para a Fundação Keep Fighting, que o alemão fundou. A expressão “keep fighting”, continua a lutar, é aliás uma presença constante nas mensagens inspiradoras de homenagem a Schumacher que Mick, o filho mais novo do piloto, costuma publicar nas redes sociais.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt
Futebol

Bernardo Silva: a tirania do politicamente correto

Frederico Seruya

É perigosa, muito perigosa esta submissão da sociedade a uma máscara de justiça e luta pela igualdade quando tal acontece através do silenciamento do que não nos agrada ou que não é o que nós pensamos

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)