Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O processo de Armando Vara está mesmo a chegar ao fim. Depois das últimas decisões, ao ex-ministro do Desporto já só restava a arguição de nulidades — mas, tal como o próprio disse ao Observador, não irá recorrer a esse último instrumento de defesa.

Contas feitas aos prazos, às burocracias e às férias judicias que se iniciam a 22 de dezembro e terminam a 3 de janeiro, Vara deverá entrar na prisão para cumprir a pena pela prática de três crimes de tráfico de influência nos primeiros dias de 2019, podendo ainda estar em casa no Natal e na passagem de ano.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.