A Polícia Judiciária Militar (PJM) deteve esta quarta-feira um membro do Regimento dos Comandos suspeito de homicídio do colega Luís Miguel Teles Lima, o militar que foi encontrado morto no quartel da Carregueira, em Sintra, a 21 de setembro. A porta-voz do exército confirmou ao Observador que a PJM e uma procuradora adjunta da Comarca do Oeste foram esta quarta-feira ao Regimento de Comandos para deter um militar e constituí-lo arguido num processo em que está “indiciado pela prática do crime de homicídio”. O suspeito deverá ser sujeito a interrogatório nas próximas 48 horas.

As primeiras informações foram de que Luís Teles Lima se teria suicidado e isso mesmo terá sido, num primeiro momento, comunicado à família. Mais tarde surgiu a informação de que o militar estaria de serviço. Agora, há fortes suspeitas de que terá sido assassinado por um colega. O militar, natural da Madeira, tinha 23 anos.

De acordo com o Correio da Manhã, o militar terá sido morto com um tiro de metralhadora G3. Segundo o Diário de Notícias, as perícias revelaram ausência de pólvora nas mãos do soldado, o que levou a investigação a afastar a hipótese de suicídio. O suspeito terá, segundo fontes citadas pelo mesmo jornal, disparado com a G3 de serviço, embora a bala não constasse do lote das armas de serviço, o que pode sugerir que houve premeditação.