Rádio Observador

Marcelo Rebelo de Sousa

Presidente da Republica apela à participação na campanha do Banco Alimentar e alerta que saída da crise “é lenta e desigual”

234

Salientando que quase 20% dos portugueses continua a ser pobre e que existe um milhão de idosos com rendimentos abaixo dos 250 euros, Marcelo defendeu que o projeto "é cada vez mais necessário".

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O Presidente da República apelou, esta sexta-feira, aos portugueses para participarem na campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar contra a Fome, este fim de semana, e salientou que a saída da crise “é lenta e desigual”.

“A saída da crise é uma saída lenta, desigual, difícil. As pessoas não podem pensar que, de repente, abrimos a janela num dia de sol radioso e já não estamos em crise, isso não existe”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, que esta sexta-feira visitou as instalações do Banco Alimentar para acompanhar os preparativos da campanha, que decorrerá no sábado e domingo em todo o país.

Salientando que quase 20% dos portugueses continuam a ser pobres e que existe um milhão de idosos com rendimentos abaixo dos 250 euros, o chefe de Estado defendeu que este projeto “é cada vez mais necessário”.

“São 400 mil pessoas em Portugal que são apoiadas permanentemente em Portugal a nível alimentar, mais de 20 mil instituições. Eu estar aqui esta sexta-feira é uma forma de chamar a atenção para que, amanhã e depois, cada um à sua maneira deve contribuir”, apelou, salientando que a campanha de Natal do Banco Alimentar “é o maior momento de partilha”.

Marcelo Rebelo de Sousa contou um exemplo que testemunhou, de uma idosa que, num supermercado, comprou para si apenas um produto alimentar e deu dois para a campanha.

A presidente do Banco Alimentar, Isabel Jonet, alertou que “nos últimos dois, três meses” as equipas no terreno voltaram a sentir mais pressão de carências alimentares, o que atribuiu a um aumento do desemprego e de situações de endividamento.

“Esperemos que seja transitório”, afirmou.

Isabel Jonet manifestou-se ainda convicta que os portugueses voltarão a aderir à campanha de recolha de alimentos deste fim de semana.

“Os portugueses conhecem as carências que há perto de sua casa, confiam no Banco Alimentar e na sua proposta de partilha: quando vai comprar para si, dê aos outros”, afirmou, salientando que 4% da população portuguesa recebe alimentos desta instituição.

Pela primeira vez, vão ser testados na campanha sacos reutilizáveis, a uma escala ainda reduzida, com Isabel Jonet a esperar que, na próxima edição, já seja possível reduzir para metade os sacos de papel.

Marcelo Rebelo de Sousa visitou os dois armazéns onde já estão montados e a ser recolhidos os ‘kits’ dos voluntários — cerca de 40 mil em todo o país — e as prateleiras, ainda vazias, onde chegarão os vários produtos doados (em cada campanha a recolha chega às quase duas toneladas de alimentos).

O Presidente da República cumprimentou um dos mais antigos voluntários do Banco Alimentar, Ernesto Rebelo, e tentou ajudá-lo a montar uma das 15 mil caixas que vão ser necessárias em Lisboa, mas com pouco sucesso.

“Só à terceira e mesmo assim, que falta de jeito… O meu primo é melhor que eu”, comentou, numa alusão a coincidência do apelido Rebelo com o voluntário de há 25 anos.

“O Presidente tem muitas qualidades, mas fazer caixas…”, concordou Isabel Jonet.

Apesar de ter agenda para sábado — de manhã, as comemorações do 1.º de Dezembro e, à noite, a “Gala Cabo Verde Sucesso”, com o chefe de Estado cabo-verdiano -, Marcelo Rebelo de Sousa não afastou a possibilidade ainda passar à tarde pela recolha de alimentos no Centro Comercial Colombo ou, já de madrugada, voltar aos armazéns de Lisboa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Portugal: um país anestesiado

José Pinto

A um país anestesiado basta acenar com o Simplex, versão revisitada. Ninguém vai questionar. A anestesia é de efeito prolongado. O problema é se o país entra em coma.

Política

Bem-vindo Donald Trump, António Costa merece!

Gabriel Mithá Ribeiro

A direita em Portugal, e o PSD muito em particular, nunca foram capazes de afirmar um discurso sociológico autónomo. CDS-PP e PSD insistem em nem sequer o tentar, mesmo quando se aproximam eleições.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)