A maioria dos países tem movido uma perseguição tenaz aos motores diesel, mas o limite máximo de 95g de CO2, imposto aos fabricantes em 2020, obriga a que estes proponham mais veículos eléctricos e híbridos plug-in e, para quem faça questão em optar por motores que queimem combustíveis fósseis (que será a maioria), uma série de motores diesel modernos, por emitirem muito menos CO2 do que os seus rivais a gasolina.

Não deixa de ser curioso que seja de um dos países que fala mais grosso contra os motores a gasóleo – uma postura meramente política e sem qualquer justificação técnica –, que surja um fabricante, a Renault, com quatro novas unidades diesel. Todas elas para a gama média e alta da marca gaulesa, onde a partir dos valores anunciados os motores diesel têm facilmente uma vantagem de 2 litros no consumo médio e 30g de CO2, face aos seus concorrentes a gasolina, trunfo que pode aumentar para o dobro em condições reais de utilização, método de avaliação que passará a ser adoptado em breve.

A unidade mais possante, entre os quatro motores a gasóleo é o 2.0 dCi, que fornece 200 cv e 400 Nm, conhecido internamente como o Blue dCi 200. Tudo nesta unidade foi pensado para baixar o consumo e as emissões, começando por reduzir as fricções, nos cilindros e veios de excêntricos, melhor gestão dos tempos de explosão, mais 30% de pressão de alimentação de combustível (2.500 bar), turbo de geometria variável controlado electronicamente e tratamento de NOx com injecção de ureia montado mais próximo do motor (para recolher os gases a uma temperatura superior). Destinado a ser utilizado pelo Espace e pelo Talisman, o 2.0 Blue dCi 200 irá ser igualmente proposto numa versão de 160 cv, que substitui o antigo 1.6 dCi biturbo com a mesma potência, fornecendo mais 20 Nm.

A Renault prepara-se ainda para introduzir, antes do final do ano, o novo 1.7 Blue dCi, que substitui o antigo diesel 1.6 dCi, com potências de 120 e 150 cv, para o 5º novo motor da marca ser o TCe 225 EDC a gasolina, o conhecido 1.6 mas já devidamente dotado com filtro de partículas, para estar de acordo com as exigências da norma WLTP.