Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Depois das últimas notícias durante o Salão de Paris, as expectativas mais optimistas apontavam para recepção das primeiras unidades do Model 3 em solo nacional algures durante o 2º trimestre de 2019, mas eis que a marca americana anuncia que os primeiros clientes a encomendar o mais acessível dos Tesla deverão recebê-lo a partir de Fevereiro do próximo ano. Além disso, o representante da marca para a Península Ibérica revelou ainda os dados de homologação em WLTP da autonomia, bem como da capacidade de aceleração.

Quem vai receber primeiro o Model 3?

As primeiras unidades do Model 3 irão ser entregues, em linha com o que sempre foi afirmado pelo construtor, por ordem de chegada das inscrições, bem como do respectivo depósito de 1.000 dólares. Os primeiros clientes nacionais a inscrever-se vão agora ser contactados, no sentido de formalizar a sua encomenda e configurar o seu veículo, optando pelas cores, acabamentos e extras, além das motorizações e capacidade de bateria.

Se figurar no lote dos primeiros a realizar a reserva, e agora a confirmá-la, vai ser igualmente dos primeiros a receber o seu Model 3, a partir de Fevereiro. Uma situação que decorre do facto de, até final do ano, se prever que continue a existir uma grande pressão no mercado americano para os clientes receberem o Model 3 até 31 de Dezembro, data em que terminarão as ajudas de 7.500 dólares fornecidas pelo Estado. Isto significa que, a partir de Janeiro, a procura pelo modelo no mercado doméstico deverá cair grandemente, deixando uma boa parte da produção – que na altura já deverá ser superior às actuais 7.000 unidades por semana – livre para expedir viaturas para a Europa, agora ávida pelo modelo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Que versões estão disponíveis em Portugal?

Para já apenas duas, precisamente aquelas que inicialmente também estiveram disponíveis no mercado americano. São também as mais potentes, com mais autonomia e mais caras.

No arranque os condutores nacionais podem contar apenas com o Model 3 Performance e Model 3 Long Range, ambos equipados com uma bateria com 75 kWh e dois motores.

No caso do Performance, o motor traseiro fornece um máximo de 287 cv, enquanto o da frente está limitado a 200 cv mas, uma vez a funcionar em conjunto, estão modulados para não ultrapassar 462 cv. Este impressionante valor coloca-o ao nível das melhores berlinas desportivas europeias, como o BMW M3 ou o Mercedes C 63 AMG, alcançando os mesmos 250 km/h, mas sendo francamente mais rápido do arranque. O 3 Performance vai de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos – o mesmo do que o novo Porsche 911 (versão 992) Carrera S, com 450 cv –, o que lhe permite bater os seus rivais alemães, uma vez que os BMW M3/M4 se ficam pelos 4,3 segundos e o Mercedes C63 AMG pelos 4,1 segundos.

O 3 Performance, que pesa 1.922 kg na homologação europeia (já com condutor e combustível), anuncia uma autonomia de 530 km (um pouco menos do que a versão Long Range), mas ainda assim um recorde, para o que contribui um Cx de apenas 0,23. Basta comparar com o Jaguar I-Pace, que com 408 cv e uma bateria de 90 kWh anuncia uma autonomia de 480 em WLTP, ou os cerca de 400 km em WLTP do novo Audi e-tron (com 95 kWh) e do futuro Mercedes EQC (80 kWh).

Mercedes apresentou o novo EQC. Mas já há polémica

O preço da versão 3 Performance é de 71.300€, mais 14.889€ do que o valor praticado nos EUA, sendo que este não inclui as taxas federais nem as locais (correspondentes ao nosso IVA). Este Tesla acaba por ser cerca de 9.000€ mais barato do que o Jaguar I-Pace, na versão menos equipada, dificilmente comparada com esta Performance, que já possui praticamente tudo o que a Tesla tem para oferecer.

E não há versões mais baratas?

Claro que sim, mas de início não são muitas. Além do Model 3 em versão Performance, os portugueses têm apenas disponível o 3 Long Range, o verdadeiro recordista da autonomia, uma vez que reivindica 544 km em WLTP. Com mais 14 km do que o Performance, muito provavelmente devido aos pneus largos e com mais aderência que este monta, o Long Range (LR) é o líder incontestado entre os eléctricos deste segmento, e não só.

Face ao Performance, o LR monta os mesmos dois motores, mas se o frontal mantém os 200 cv, o traseiro não ultrapassa os 256 cv, o que no conjunto fornece um total de 351 cv, como valor máximo. A velocidade fica limitada a 233 km/h, enquanto os 0-100 km/h deverão ser atingidos ao fim de 5,0 segundos, ainda que não existe de momento um valor oficial.

Oficial. Revelado o primeiro SUV eléctrico da Audi

O preço do Model 3 Long Range para Portugal está fixado em 60.200€, um valor que é 13.484€ superior ao praticado nos EUA, sendo que também o LR já traz de série praticamente tudo o que a Tesla tem para disponibilizar aos seus clientes.

Não há extras para embelezar os Model 3?

Há. De série, os Model 3 LR e Performance oferecem o pack Premium, o que significa bancos em pele e aquecidos, consola central, sistema áudio premium com 14 altifalantes e surround, espelhos retrovisores exteriores eléctricos e aquecidos, sistema de navegação e Autopilot, com a Tesla a oferecer a conectividade premium durante um ano, que inclui visualização do trânsito em tempo real e Spotify, entre outros. Sendo que o 3 Performance inclui ainda discos e pinças de maiores dimensões e o tipo de condução Track Mode, para optimizar o gozo de quem vai ao volante.

Model 3 já chegou a Portugal. Como pode ter um?

Como opcionais, a marca americana disponibiliza jantes com 19” para a versão LR (as 18” são de série), por 1.600€, com o 3 Performance a estar equipado de origem com jantes 20”. Em matéria de cores, o preto é de série, mas as cores metálicas (Midnight Silver e Deep Blue ) obrigam a um custo adicional de 1.600€, enquanto a Pearl White exige mais 2.200€ e a Multicoat Red 2.700€.

Os condutores lusos podem ainda completar os seus Model 3 com o Enhanced Autopilot por 5.400€, já preparado para a condução autónoma e que pode até estacionar sozinho em lugares mais apertados, graças à função Summon. Existe ainda um carregador da Tesla com uma potência de 11 kW, para montar em casa, que o fabricante propõe por 500€.

E vão aparecer mais versões?

Depois do Model 3 Long Range e Model 3 Performance, resta aguardar pela versão Mid Range, que chegará certamente ainda em 2019. Face às duas anteriores, o Mid Range distingue-se, como a denominação parece indicar, pela capacidade da bateria, que cai de 75 para 62 kWh, reservando os 50 kWh para a futura versão Standard. Contudo, o que impressiona no Mid Range é a autonomia, que nos EUA é de apenas menos 79 km quando comparada com a versão Long Range, o que coloca o alcance do Mid Range em WLTP nos 465 km, um valor espectacular para esta capacidade de bateria.

O eléctrico inglês que põe os alemães em sentido. E a Tesla

Parte da explicação para o melhor rendimento pode ser procurada no menor peso, uma vez que a bateria de menor capacidade permite poupar uns quilos, o mesmo acontecendo ao não montar motor à frente, pois o Midd Range possui apenas tracção atrás. Contudo, o seu motor fornece 256 cv (é o mesmo que o Long Range monta à retaguarda), o que deverá ser suficiente para alcançar 201 km/h e passar pelos 100 km/h ao fim de aproximadamente 6,3 segundos.

Proposto nos EUA por menos 6.200€ do que a versão Long Range, tudo indica que o Mid Range deverá chegar a Portugal por cerca de 53.000€, o que deixa antever um preço na casa dos 40.000€ para o Model 3 Standard.

Quando é que o Standard estará disponível? Esta é uma questão que até Elon Musk gostaria de ver respondida. A Tesla necessita desta versão para ganhar ainda mais dinheiro com as versões mais possantes e bem equipadas, mas o Standard (à venda nos EUA por 35.000 dólares) só sairá quando o fabricante norte-americano conseguir produzir Model 3 e respectivas baterias ao ritmo de 10.000/semana, o que significa cerca de 500.000/ano. Só então as baterias (e os chassis) atingirão um custo por unidade capaz de justificar o preço de 35.000 dólares no mercado americano e cerca de 40.000€ no português.