Rádio Observador

Jaguar

I-Pace. SUV da Jaguar carrega 100 km em 15 minutos

Acaba de ser revelado o novo I-Pace, com tracção integral, 400 cv, uma autonomia de 480 km e a capacidade de ir de 0 a 80% da carga em 40 minutos. Mas bastam-lhe 15 na tomada para fazer mais 100 km.

Deixemos as considerações estéticas para o gosto pessoal de cada um e vamos àquilo que interessa. O muito aguardado I-Pace acaba de se estrear mundialmente, numa apresentação que pôde ser acompanhada em directo e em que ficámos a saber quais os predicados deste “primeiro eléctrico puro” da Jaguar. E o destaque vai, naturalmente, para a performance eléctrica deste SUV de cinco lugares, com o principal motivo de interesse a residir na autonomia (480 km – já no mais realista ciclo WLTP) e, sobretudo, na rapidez do tempo de recarga das baterias.

Vamos por partes. O felino britânico usufrui de tracção integral, cortesia de dois motores eléctricos concebidos pela Jaguar (um por eixo, posicionados transversalmente), que disponibilizam um total de 400 cv e 696 Nm de binário. Ora, esta potência combinada com uma estrutura em alumínio (distribuição de peso de 50:50), permite ao I-Pace ir de 0-100 km/h em 4,8 segundos.

Mas nada disto seria possível sem um pack de baterias de iões de lítio de 90 kWh, que podem ser recarregadas, até 80%, em apenas 40 minutos num carregador rápido de Corrente Contínua  a 100 kW. Mas vamos supor que ao utilizador não resta outra hipótese se não a de recorre a um carregador de parede de corrente alternada (7,3 kW, numa ligação tipo wallbox, ou seja, 230V a 32 Amp). Nesse caso, para alcançar os mesmos 80% de carga serão necessárias mais de 10 horas. Uma alternativa, portanto, que fará mais sentido se estivermos a falar de um carregamento nocturno – em que as tarifas de electricidade são mais apelativas. Mas, mais interessante do que isso, é a promessa da Jaguar de que o seu SUV eléctrico conseguirá obter mais 100 km de autonomia em apenas 15 minutos, quando ligado a um posto de carregamento rápido (com uma potência de 100 kW). E porquê? Porque essa agilidade na recuperação de autonomia faz toda a diferença na hora de combater um dos principais obstáculos à disseminação da mobilidade eléctrica: a facilidade de recarga. Assim, a fazer fé nas garantias avançadas pela marca britânica, num simples quarto de hora – enquanto se toma um café – ganha-se margem par enfrentar sem problemas mais um pedaço do percurso que se tem pela frente.

Como se isto não bastasse, a Jaguar oferece uma garantia de bateria de oito anos, bem como intervalos de manutenção a cada 34.000 km ou dois anos – o que ocorrer primeiro –, para tranquilidade do proprietário.

E, em troca, o que pede? 80.416.69€ – é este o preço de arranque para o novo I-Pace (tabela de preços aqui).

A terminar, referir que o o SUV eléctrico da Jaguar vai recorrer a algoritmos de inteligência artificial para ajustar a configuração ao estilo de condução e beneficiar de actualizações de software remotas, sem fios, com o intuito de assegurar que o cliente terá sempre disponível a versão mais recente.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt
Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)