Zimbabué

Autoridades sul-africanas emitem mandato para prender Grace Mugabe

Gabrielle Engels acusa a ex-primeira dama de a ter agredido violentamente com uma extensão elétrica num hotel em Joanesburgo. A Interpol ajudará no processo de detenção.

AFP/Getty Images

Grace Mugabe, a ex-Primeira Dama do Zimbabué, foi alvo de um mandato de prisão, emitido pela polícia sul-africana, no seguimento de uma alegada agressão num hotel em Joanesburgo. De acordo com o que o The Guardian noticia, a modelo Gabriella Engels acusou Mugabe de a “espancar violentamente” com uma extensão elétrica.

A alegada agressão decorreu num quarto do hotel Capital 20 West, no distrito de Sandton, e foi tornada pública em agosto de 2017, altura em que o governo local decidiu conceder imunidade diplomática a Grace Mugabe. Ainda este ano, os tribunais decidiram dar razão a Engels depois da modelo ter recorrido à justiça para ver removida essa imunidade.

“Confirmo que foi emitido na passada quinta-feira um mandato para a prisão de Grace Mugabe”, afirmou Vishnu Naidoo, o porta-voz da polícia sul-africana. Naidoo afirmou ainda que foi pedida ajuda à Interpol para capturar a antiga primeira-dama. Até agora, Harare ainda não formalizou qualquer posição sobre o assunto.

Com 53 anos, Grace Mugabe é vista como uma das mais prováveis sucessoras do seu marido, Robert Mugabe, que governou o Zimbabué ininterruptamente de 1980 até ao ano passado, altura em que foi destituído após um golpe de estado.

A acusada nega completamente ter tido o comportamento violento descrito por Engels e afirma ainda que foi a própria queixosa que, num estado de “embriaguez e loucura”, a terá tentado atacar com uma faca, depois de se ter deslocado ao hotel em questão para visitar o filho dos Mugabe. A firma de advogados sul-africana AfriForum, que representa Engels, acusa Grace de ter mentido.

Depois do golpe de estado, Grace afastou-se da vida pública. As eleições do passado mês de agosto foram ganhas por Emmerson Mnangagwa, o antigo braço direito de Robert Mugabe e atual líder do partido Zanu-PF.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: dlopes@observador.pt
Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)