O Benfica voltou esta quarta-feira a fazer um apelo às autoridades para que sejam encontradas formas de prevenção e combate à violência no desporto, e no futebol em particular, depois do ataque ao autocarro de adeptos da Casa dos encarnados de Barcelos no regresso da receção na Luz ao Sp. Braga, que fez um ferido grave que se encontra internado em Gaia. Também o plantel das águias gravou um vídeo de apoio ao adepto, divulgado nas suas plataformas de comunicação.

“Bruno Simões foi vítima de um ataque bárbaro e vergonhoso que não pode passar impune. O jovem seguia num autocarro da Casa do Benfica de Barcelos e foi a principal vítima de uma emboscada criminosa, na A1 (Grijó/Gaia), que poderia ter tido consequências ainda mais graves. O que aconteceu a Bruno Simões – que regressava a casa depois de assistir ao Benfica-Sp. Braga – é mais um sinal de que é preciso atuar de forma rápida e implacável com todas as correntes de violência que semeiam o pânico no desporto, em geral, e no futebol, em particular”, destaca a “News Benfica” desta quarta-feira.

“Não é admissível que tenhamos, todos, de continuar a viver em permanente estado de alerta a cada fim de semana. Não é admissível que um jovem de 20 anos fique em risco de vida sem sequer perceber porquê. Não é admissível que os responsáveis por esta barbaridade continuem à solta. Esta não foi a primeira vez que a conflitualidade no futebol foi transportada para as estradas em forma de ataque cobarde. Todos nos lembramos de outras investidas do género, inqualificáveis, e que também essas passaram sem o devido castigo. Basta recordar os envolvidos, há cerca de um ano, naquela emboscada aos nossos adeptos que regressavam da Vila das Aves”, prossegue, concluindo: “É urgente punir todo e qualquer tipo de marginalidade que afete o futebol. É preciso pôr em prática todos os mecanismos ao alcance das autoridades para erradicar do desporto os energúmenos e selvagens que planeiam e concretizam estes ataques”.

Benfica repudia arremesso de objetos contra autocarro de adeptos em Barcelos

De acordo com o pai da vítima, a pedra “maior do que um paralelo” que atingiu Bruno Simões provocou múltiplas fraturas na cara e dentes partidos, sendo que o jovem só poderia ser operado entre hoje e amanhã. “Ainda está irreconhecível”, disse ao Record (conteúdo fechado). “Alguns viram dois encapuzados saírem disparados em direção ao autocarro, outros três”, acrescentou ao mesmo jornal Leonel Peixoto, vice-presidente da Casa do Benfica de Barcelos.