A edição em papel do Diário de Notícias (DN), que em julho deste ano passou a estar nas bancas apenas ao domingo, vai começar a sair ao sábado, avançou o jornal Eco esta quarta-feira. A administração da Global Media, empresa que controla o jornal, percebeu que o facto de o DN sair ao domingo, apesar de ser o dia com melhores resultados, limitava as possibilidades de venda, uma vez que vários estabelecimentos estão fechados nesse dia da semana. Além disso, a venda neste dia cortava o efeito de ser um jornal para ser lido durante o fim de semana.

A edição da semana passada do suplemento “Dinheiro Vivo” fez referência a esta mudança ao dizer que “a partir de 29 de dezembro o Dinheiro Vivo volta a sair em banca todos os sábados, quer com o Diário de Notícias quer com o Jornal de Notícias”. Também o DN já tinha anunciado uma edição especial a sair no próximo sábado, no âmbito do seu 154.º aniversário. Sabe-se agora que não se trata de uma iniciativa pontual e que o DN vai passar a competir diretamente com o semanário Expresso, que também é lançado ao sábado e é o líder de vendas, e com o semanário Sol.

Em julho deste ano, o DN decidiu passar a ser semanário, face à acentuada queda de vendas em banca em 2017 (para cerca de 7.500 exemplares) e uma equivalente quebra nas receitas de publicidade. A opção pelo semanário passou também por um reforço da cobertura digital. Os dados da Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação (APCT) indicam que no mês da mudança o jornal teve uma circulação paga de 10.607 exemplares. Já em Agosto, as vendas desceram para 8.993 exemplares em média por edição.