Recluso 49 — é este o número que Armando Vara utilizará nos próximos cinco anos, enquanto cumpre pena pelos três crimes de tráfico de influências a que foi condenado. Detido desde a passada quarta-feira, desde que se entregou no Estabelecimento Prisional de Évora, Vara — um dos principais visados no polémico processo Face Oculta — passou várias horas no processo de admissão à cadeia e foi destacado para uma das três celas da ala feminina da penitenciária, segundo o Correio da Manhã.

Na quarta-feira, quando Armando Vara se entregou (a um dia de concluir o limite de três dado pelo tribunal), passou muito tempo no processo de admissão: entre várias coisas, o recluso 49 teve de entregar todos os seus objetos pessoais aos guardas, ficando apenas com as roupas, os artigos de higiene pessoal e outros objetos permitidos pelo regulamento das prisões como os relógios e os anéis.

A direção da cadeia eborense atribuíu-lhe a tal cela na zona feminina — não há mulheres nesta cadeia, de momento — e, dada a hora de entrada, terá jantado na cela no primeiro dia. Agora, o ex-ministro passará por um período de adaptação em que, durante uns dias, não partilhará o recreio com os restantes presidiários, por exemplo, e ficará sob vigilância médica.