Ministério da Agricultura

Capoulas Santos diz que Portugal está “nos primeiros lugares” na execução de fundos comunitários

121

Capoulas Santos afirma que Portugal está nos primeiros lugares na execução dos fundos comunitários, mostrando-se perplexo com críticas da Confederação dos Agricultores de Portugal.

Capoulas Santos, o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

NUNO FOX/LUSA

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, disse esta sexta-feira que Portugal está “nos primeiros lugares” na execução dos fundos comunitários e mostrou-se “muito perplexo” com críticas da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP). O presidente da CAP, Eduardo Oliveira e Sousa, alertou na quinta-feira que Portugal pode ter de devolver dinheiro à União Europeia por falta de execução das ajudas a projetos agrícolas.

Segundo o dirigente, “há um programa específico, o Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) que tem uma carga administrativa muito grande e está a provocar atrasos no pagamento dessas ajudas aos agricultores, nomeadamente na instalação dos jovens, o pagamento às ajudas aos investimentos, os projetos como lhe chamam”.

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural disse esta sexta-feira aos jornalistas, à margem de uma visita à Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda, onde acompanhou o primeiro-ministro, que “Portugal perdeu 20 milhões de euros, mas foi no final do mandato do Governo anterior”.

“Neste momento, as verbas comunitárias não estão perdidas. Antes pelo contrário. Portugal está nos primeiros lugares da melhor execução dos fundos comunitários. Já temos cerca de 51% de execução, 29 mil projetos aprovados e este programa só acaba daqui por cinco anos”, disse.

Capoulas Santos mostrou-se “muito perplexo” por verificar que a CAP, “quando o Governo anterior perdeu milhões [de euros] por não utilizar, ficou silenciosa e, agora, quando o Governo está com uma boa performance, e para um programa que só acaba daqui por cinco anos, já está preocupada com a eventualidade” de o país poder perder fundos comunitários. O ministro da Agricultura assegurou que “isso não acontecerá” e lembrou que, como ministro, já encerrou um quadro comunitário que “não perdeu um cêntimo para Bruxelas”.

Sobre a posição da CAP, disse que não interpreta as declarações do seu dirigente “fora do contexto político que se avizinha”. O presidente da CAP negou que haja uma “guerra aberta” com o Ministério da Agricultura face aos projetos do PDR.

“Há muitos projetos pendentes [no PDR 2020]. Ontem, vinha uma notícia a dizer que há uma guerra aberta entre o Ministério da Agricultura e a CAP. É totalmente falso, não há guerra aberta nenhuma. Há aqui uma forma diferente de olhar para os números e os números são aquilo que são”, explicou Eduardo Oliveira e Sousa, em Castelo Branco, onde se deslocou para reunir com agricultores e associações do setor.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)