Homossexualidade

Opus Gay: Madeira já era destino turístico LGBT, mas “à socapa”

A Opus Gay, Rede Ex Aequo e a International Gay & Lesbian Travel Association assinaram protocolos no âmbito do turismo, inclusão e apoio psicológico.

A Madeira é "reconhecida internacionalmente como o melhor destino insular do mundo e da Europa" disse o vice-presidente do governo regional

HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O presidente da Opus Gay, António Serzedelo, afirmou esta quinta-feira que a Madeira há muito que era conhecida “como destino homossexual “à socapa e envergonhado”, durante a assinatura de protocolos com o Governo Regional da Madeira.

“Há muito que o Funchal era um destino LGBT, mas à socapa, envergonhado. Agora pode andar de cabeça levantada. Contar com o beneplácito da população e do governo e das organizações LGBT que se vão preparar bem para isso”, afirmou.

A Opus Gay, a Rede Ex Aequo e a International Gay & Lesbian Travel Association (IGLTA) assinaram protocolos no âmbito do turismo, inclusão, apoio psicológico e de divulgação das instituições na região. Algo que o representante da Opus Gay na Madeira, Paulo Spínola, fez questão de relevar, recordando as solicitações que tem recebido. “Temos recebido pedidos de ajuda e de informação por pais que querem compreender e ajudar os filhos LGBT, assim como temos recebido jovens que querem poder viver saudavelmente as suas orientações sexuais”, disse.

Dos protocolos assinados, o vice-presidente do governo, Pedro Calado, realçou o “sinal de uma cultura de tolerância” da região, sendo que, no caso particular da associação IGLTA, destacou a importância turística para o destino insular. “Sendo um destino turístico já reconhecido internacionalmente, como o melhor destino insular do mundo e da Europa, título que vem conquistando por cinco vezes consecutivas, a Madeira não podia ficar à margem deste pequeno grande passo”, afirmou.

Acrescentou que “este é, igualmente, um segmento de turismo de qualidade, que é também aquilo que se pretende para a Madeira, com um nicho de mercado muito alto, que procura elevados padrões de qualidade, sendo este um aspeto que o turismo tem vindo a trabalhar nos últimos anos”.

Na sequência dos protocolos assinados esta quinta-feira, o líder da IGLTA, dono de uma cadeia hoteleira, já anunciou a construção de um hotel na Madeira, que ficará situado na denominada ‘zona velha’ da cidade do Funchal e terá capacidade para 88 quartos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Política

O caso Berardo e o regresso a Auschwitz

Luís Filipe Torgal

A psicologia de massas, manipulada pelos novos cénicos «chefes providenciais», vai transfigurando a história em mito, crendo num «admirável mundo novo», depreciando a democracia, diabolizando a Europa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)