Papa Francisco

Papa espera “nova página” nas relações entre religiões com visita aos Emirados

Papa afirma que EAU "procuram ser um modelo de coabitação, de fraternidade humana e de encontro entre civilizações e culturas diversas. EAU querem projetar uma imagem de país tolerante.

O papa Francisco diz-se feliz por "escrever uma nova página na história das relações entre as religiões" com a visita que faz, entre 3 e 5 de fevereiro, aos EAU

MAURIZIO BRAMBATTI BT/EPA

O papa Francisco diz-se feliz por “escrever uma nova página na história das relações entre as religiões” com a visita que faz, entre 3 e 5 de fevereiro, aos Emirados Árabes Unidos, num vídeo divulgado em duas versões, italiana e árabe, esta quinta-feira pelo Vaticano.

Estou feliz […] por escrever na vossa cara terra uma nova página da história das relações entre as religiões, confirmando que somos irmãos mesmo sendo diferentes”, afirma o papa na mensagem

O chefe da Igreja Católica agradece ao príncipe herdeiro Mohammed bin Zayed al-Nahyan o convite para participar num encontro inter-religioso sobre o tema “fraternidade humana”, onde terá ocasião de se encontrar com um “amigo e irmão”, o grande imã sunita de Al-Azhar, o xeque Ahmed al-Tayeb.

Esse encontro, considera, reflete “a coragem e a vontade de afirmar que a fé em Deus une, em lugar de dividir, aproxima, apesar das diferenças, e afasta a hostilidade e a aversão”.

Francisco sublinha ainda que os Emirados Árabes Unidos “procuram ser um modelo de coabitação, de fraternidade humana e de encontro entre civilizações e culturas diversas, onde muitos encontram um local seguro para trabalhar e viver em liberdade e no respeito pela diversidade”. “Alegro-me por encontrar um povo que vive o presente com o olhar voltado para o futuro”, diz.

Ao contrário da vizinha Arábia Saudita, que proíbe a prática de outras religiões que não o islão, os Emirados querem projetar uma imagem de país tolerante. A sua população, 90% da qual é estrangeira, conta com muitos cristãos, designadamente entre os trabalhadores indianos e filipinos.

A visita do papa foi qualificada de “histórica” pelo governo dos Emirados. Francisco encontra-se com o xeque Ahmed al-Tayeb na segunda-feira, 4 de fevereiro. A 5, o papa celebra uma missa no estádio xeque Zayed, em Abu Dhabi, para 135.000 pessoas.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)