Um jovem espanhol de 26 anos é suspeito de ter cortado a mãe, de 66 anos, em pedaços e de a ter comido com a ajuda do cão.

Soledad esteve desaparecida durante um mês e, por isso, um amigo da vítima alertou a Polícia Nacional. Na quinta-feira, as autoridades entraram na casa, em Ventas, um bairro de Salamanca, em Madrid, onde estava o filho e alguns restos do corpo da vítima guardados em tupperware’s. O El Mundo avança que os polícias acreditam que o jovem cozinhou os restos mortais da mãe antes de os comer. Depois de ser detido, o homem admitiu mesmo que praticava canibalismo. O cão com o qual suspeito partilhou os restos mortais ficou ao encargo do Serviço Veterinário de Urgências espanhol.

Segundo o El País, o homem já tinha 12 antecedentes criminais por maus tratos à mãe e os vizinhos já estavam habituados a ouvir grandes discussões dentro de casa. Dizem que era um ”homem que se mostrava sempre muito distante” e trabalhava num bar perto de casa, onde a mulher, por vezes, se refugiava e desabafava sobre os maus tratos por parte do filho. O El Mundo revela que os vizinhos contaram que o suspeito tinha uma doença mental e já tinha estado num centro psiquiátrico. A Polícia Nacional ainda não confirmou estas informações, mas fontes da investigação revelaram que o homem consumia drogas e bebia com frequência.

Mãe e filho moravam em Ventas, Madrid, e o irmão mais velho do detido vivia no estrangeiro e não mantinha contacto regular com a família. Só aparecia de vez em quando para socorrer a mãe quando era maltratada. O pai era marceneiro e já morreu há alguns anos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O El Mundo diz que o suspeito se nega a declarar-se culpado de homicídio e que no sábado vai a julgamento.