Pelo menos 21 pessoas morreram no ataque armado contra uma empresa de construção privada, que ocorreu na manhã desta quarta-feira, na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão.

De acordo com as autoridades locais, as últimas informações indicam que o ataque contra a empresa privada afegã MQ provocou a morte a 16 trabalhadores da construtora e a cinco atacantes, ferindo ainda nove civis, duas das quais em estado grave.

O ataque contra as instalações da empresa situada perto do aeroporto de Jalalabad, província de Nangarhar, ocorreu durante a madrugada, mas ainda não foi reivindicado.

Segundo o porta-voz do governador provincial, Attaullah Khogyanai, os confrontos armados entre homens armados e elementos das forças de segurança começaram depois da explosão de um veículo armadilhado.

As forças de segurança estão a fazer buscas na zona do aeroporto numa tentativa de encontrar algum dos atacantes em fuga e a procurar eventuais engenhos armadilhados.

Zabihullah Zmarai, membro do Conselho Provincial, disse que a construtora que foi alvo do ataque armado encontra-se perto do aeroporto onde estão concentradas forças militares dos Estados Unidos.

“A empresa faz serviços de construção no aeroporto”, disse Zmari.

A província de Nangarhar faz fronteira com o Paquistão, numa zona onde se concentram forças do grupo extremista Estado Islâmico.

Segundo a Inspeção Geral para a Reconstrução do Afeganistão, do Congresso dos Estados Unidos, o governo afegão controla cerca de 55% do território nacional e os talibãs detêm 11% do país sendo que o restante território continua a ser disputado.

A violência contra os civis é constante: de acordo com o último relatório das Nações Unidas sobre a guerra no Afeganistão indica que morreram 3.804 civis, em 2018, o que corresponde a um aumento de 11% em relação ao ano anterior.