Eleições Europeias

Sondagem europeias. PSD sobe 10 pontos em dois meses

1.081

O social-democrata, Paulo Rangel, é quem tem mais notoriedade. No entanto, o PS lidera as intenções de voto às europeias, com 34,1%. Ainda assim, os sociais-democratas aproximam-se dos socialistas.

49,6% dos inquiridos disse não saber qual a data das eleições europeias, marcadas para 26 de maio

AFP/Getty Images

As eleições europeias continuam a ser pouco célebres entre os portugueses, que desde logo desconhecem a data agendada para eleger os seus representantes ao Parlamento Europeu.

É uma das conclusões da sondagem da Aximage para o Correio da Manhã e o Negócios: a maioria dos portugueses (49,6%) continua sem saber que as europeias estão marcadas para o próximo dia 26 de maio.

Com todos os cabeças-de-lista já formalmente anunciados, o social-democrata, Paulo Rangel, ganha em notoriedade em relação ao cabeça-de-lista do PS, Pedro Marques, com 24,7% e 23,5% respetivamente.

Porém, as intenções de voto mostram resultados diferentes. Entre os inquiridos que admitem ir às urnas, o PS lidera as intenções de voto, com 34,1%, valor já registado em fevereiro. Logo a seguir, surge o PSD, que se aproxima agora dos socialistas, com 29,1% (ganhando assim mais de quatro pontos percentuais), registando uma subida de dez pontos face à sondagem de janeiro (19,8%).

A terceira força política mais votada é a aliança entre PCP e Verdes, que sobe quase um ponto para com 9,2%. Já Bloco de Esquerda e CDS reunem cerca de 7% dos votos; Aliança e PAN surgem quase empatados com cerca de 2% das intenções de voto.

A sondagem da Aximage publicada esta segunda-feira refere ainda números preocupantes no que toca à abstenção, no entanto, longe de serem surpreendentes quando se fala em eleições europeias. A maioria dos portugueses (55,5%) refere que não deverá dirigir-se às urnas no dia 26 de maio.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Administração Pública

A (Des)orientação ao Cidadão

Carlos Hernandez Jerónimo

Não basta produzir plataformas e sistemas mesmo que em co-criação com o cidadão, que apenas ligam dois pontos em linha reta e que ao mínimo desvio empurram o cidadão para o balcão e a fila de espera. 

Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)