O secretário para a Economia e Finanças de Macau prometeu ao vice-ministro dos Negócios Estrangeiros chinês a intensificação da estratégia sino-lusófona para reforçar a cooperação com América Latina, União Europeia e África, foi anunciado.

“Irão ser redobrados esforços, particularmente aproveitadas as três vias de cooperação económica e comercial com o exterior, nomeadamente com a América Latina através do Brasil, a União Europeia através de Portugal e a África através de Angola e Moçambique”, disse Lionel Leong Vai Tac ao governante chinês Le Yucheng numa reunião em Pequim, na quarta-feira.

Num comunicado divulgado pelo gabinete do secretário para a Economia e Finanças de Macau, Le Yucheng “prometeu a disponibilização contínua de apoio” e de “valorização do seu papel enquanto ‘Um Centro e Uma Plataforma'”.

O papel de Macau enquanto plataforma entre a China e os países de língua portuguesa faz parte da agenda chinesa para potenciar as relações económicas internacionais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Leong disse ainda que espera “poder receber continuamente apoio do respetivo Ministério no fomento da cooperação de Macau com os países lusófonos, nas vertentes económica e comercial, empreendedorismo, entre outras”.

O responsável aproveitou para agradecer ao Governo chinês a ajuda para retirar Macau da lista de jurisdições não cooperantes em matéria fiscal, anunciada em dezembro de 2017 pela UE.

Macau, após mais de 400 anos sob administração portuguesa, passou a ser uma Região Administrativa Especial da China a 20 de dezembro de 1999, com um elevado grau de autonomia acordado por um período de 50 anos.