Eleições Europeias

Paulo de Morais será cabeça-de-lista pelo MPT e Nós, Cidadãos, mas Tribunal Constitucional travou a coligação

3.629

Para já o Tribunal Constitucional travou a coligação Força Cívica, que integra o Partido da Terra -- representado por José Inácio Faria --, e o Nós, Cidadãos! Mas já há cabeça-de-lista escolhido.

Paulo Morais foi candidato à Presidência da República em 2016

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

Paulo de Morais vai ser o candidato do Partido da Terra e do Nós, Cidadãos! às eleições europeias deste ano, isto se o Tribunal Constitucional aceitar o recurso da coligação Força Cívica, que foi inicialmente rejeitado. O Partido da Terra enfrenta problemas jurídicos com o atual eurodeputado José Inácio Faria e Luís Vicente a reclamarem a liderança do partido.

A candidatura de Paulo de Morais foi confirmada ao Observador por José Inácio Faria, que diz ser o representante legal do MPT e pelo próprio Paulo de Morais. “Se a coligação se concretizar serei o cabeça-de-lista. Se for recusada, terei que tomar uma posição”, diz Paulo de Morais ao Observador.

O ex-presidente da TIAC – Transparência e Integridade e candidato presidencial em 2016 — em que ficou em 7º lugar com 100 mil votos –, desvalorizou os problemas que o Partido da Terra atravessa, tendo em conta os documentos que validam a titularidade dos representantes dos partidos.

Quem terá mostrado dúvidas foi o Tribunal Constitucional que recusou a apresentação da coligação, entre outros argumentos, devido às dúvidas sobre os titulares do Partido da Terra. Tal como Observador tinha dado conta, tanto José Inácio Faria — atualmente eurodeputado –, como Luís Vicente dizem ser presidentes do Partido da Terra. Isto porque, a primeira eleição de Luís Vicente não foi reconhecida pelo Tribunal Constitucional. Acontece que, no dia 24 de março, o MPT — com a direção liderada por Luís Vicente –, marcou um congresso extraordinário para regularizar a situação do partido, que aguarda agora a clarificação do Tribunal Constitucional.

O Partido da Terra anunciou esta quarta-feira ter aberto um processo disciplinar a José Inácio Faria por ter assinado um comunicado “denegrindo a Direcção Nacional do Partido, comunicado que assinou abusivamente como “O Presidente da Comissão Política Nacional do Partido da Terra – MPT”, cargo que, como é do conhecimento dos filiados, deixou de desempenhar após o X Congresso Nacional do Partido realizado a 10 de Fevereiro de 2018”.

Ao Observador, José Inácio Faria critica a atuação do Tribunal Constitucional, recusando a existência de problemas jurídicos no Partido da Terra. “Um partido não pode estar num vazio legal”, diz José Inácio Faria, que espera “uma decisão favorável” ao recurso apresentado junto do Tribunal Constitucional, apelando a “uma decisão rápida, porque não se pode obstaculizar uma candidatura de um partido”.

Contactado pelo Observador, o presidente do Nós, Cidadãos!, Mendo Castro Henriques, recusa comentar a candidatura, remetendo esclarecimentos para o dia 15 de abril, dia em que termina a entrega de candidaturas para o Parlamento Europeu.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mdias@observador.pt
Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina
107

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Eleições Europeias

Os ventos que sopram da Europa

Jose Pedro Anacoreta Correira

É preciso explicar que o combate pela redução de impostos não significa menos preocupação social. É precisamente o inverso: um Estado menos pesado contribui para uma sociedade mais justa. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)