Rádio Observador

Google

Google vai permitir apagar dados de localização automaticamente

Não é só o Facebook que tem críticas quanto ao tratamento de dados, a Google também, principalmente por saber onde os utilizadores andam. Agora, vai permitir apagar automaticamente o histórico.

O símbolo da Google nos escritório de Pequim, na China

ROMAN PILIPEY/EPA

Depois de muitas críticas, a Google anunciou esta quarta-feira que vai lançar uma nova funcionalidade a pensar na privacidade dos utilizadores: apagar o histórico de informação. Da mesma forma que empresas como o Facebook guardam todos os dados que insere na plataforma — mesmo o que escreveu e nunca chegou a publicar — a Google faz o mesmo com os serviços que disponibiliza. Agora, vai ser possível definir um contador para, automaticamente, esta informação ser apagada.

[Veja no GIF como pode definir esta nova funcionalidade da conta Google]

Como a Google detém serviços como a aplicação de GPS Google Maps ou o navegador de Internet Chrome, tem acesso a bastante informação pessoal dos utilizadores e pode saber, literalmente, por onde andou, onde está e o que quer encontrar ou saber. Com esta nova opção passa a ser possível apagar automaticamente o histórico de atividade de pesquisas que fez ou os percursos que realizou. Esta funcionalidade que vai ficar disponível “ao longo das próximas semanas” e a Google quer estendê-la a mais serviços da empresa.

Quer esteja a ver as notícias mais recentes ou o caminho mais rápido para chegar ao destino, queremos tornar os nossos produtos úteis a todos. E quando ativa definições de conta como o histórico de localização ou atividade da web e de aplicações, esta informação ajuda a melhorar as experiências dos utilizadores em várias vertentes — como por exemplo recomendar-lhe um novo restaurante que poderá gostar ou levá-lo a onde ficou na última pesquisa”, diz a Google.

Estes controlos para definir a eliminação automática do histórico de informação vão estar disponíveis nas definições da Conta Google na secção de “Web e Atividade de Apps”e “Histórico de Localização” (“Web & App Activity” e “Location History” em inglês). A Google vai ter vai opções para apagar o histórico: apagar agora; manter a informação durante três; ou manter a informação por 18 meses.

Esta medida surge depois de críticas à Google pelo tempo e forma como armazena dados pessoais, principalmente a informação de geo-localização. A empresa afirmou ainda que — numa época em que até o Facebook quer oferecer um caminho com mais privacidade para as pessoas –, os utilizadores “devem ser capazes de gerir os seus dados da maneira que mais lhes convier”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)