A Unbabel, a startup portuguesa de que alia a inteligência artificial com pós-edição humana à tradução automática, vai abrir o terceiro escritório nos Estados Unidos da América. Este novo espaço na cidade de Pittsburgh, na Pensilvânia, vai ser dedicado à investigação e desenvolvimento em inteligência artificial e vai ter à frente o especialista Alon Levie, o novo vice-presidente do departamento de Tecnologias Linguísticas da Unbabel.

Pittsburgh foi escolhida para receber o novo escritório da startup portuguesa pela proximidade que a cdiade tem com a Universidade Carnegie Mellon, um dos centros mundiais mais ativos de pesquisa em tradução automática, processamento de linguagem natural e tecnologia aplicada e de inteligência artificial.

Existe um enorme potencial em Pittsburgh, com a Universidade de Carnegie Mellon, um dos melhores centros de pesquisa em ciência da computação e tecnologia da linguagem do mundo. Isto significa que temos acesso aos melhores talentos, muitos dos quais ainda com ligações ativas à Universidade”, afirma Alon Lavie.

Alon Lavie, doutorado e antigo professor da mesma instituição durante 20 anos, mantém-se assim na cidade onde vivia e estudou, depois de sair da Amazon onde trabalhava como coordenador de projetos de tradução automática.

Antes de ocupar o cargo de vice-presidente do departamento de Tecnologias Linguísticas da Unbabel, Alon Levie foi também presidente da Associação de Tradução Automática das Américas (AMTA) e da Associação Internacional de Tradução Automática. O especiliasta em tradução automática liderar a pesquisa e o desenvolvimento da Unbabel em Pittsburgh em cooperação com as equipas de Lisboa e São Francisco.

Em abril, antes de abrir este novo escritório na Pensilvânia, a Unbabel inaugurou em São Francisco outro espaço com o objetivo de se aproximar dos seus grandes clientes empresariais, como o Facebook, o Pinterest, a Microsoft, ou a Logitech. Em 2018, a startup portuguesa abriu o primeiro espaço nos EUA em Nova Iorque.

A Unbabel foi criada em 2013 Vasco Pedro. Em janeiro de 2018, angariou 23 milhões de euros de alguns dos investidores de topo mundiais, como a Scale Venture Partners, a Microsoft Ventures, a Samsung Next, entre outros, um investimento que foi usado para a expansão internacional e desenvolvimento de produto.

https://observador.pt/videos/o-meu-fracasso-antes-do-meu-sucesso/unbabel-o-que-aprendes-com-o-falhanco-e-que-nao-queres-voltar-a-falhar-e-uma-sensacao-terrivel/