A polícia espanhola deteve nesta terça-feira mais uma mulher que fazia parte da Associação Infancia Libre, ligada ao Podemos, que alegadamente impedia o ex-marido de ver a filha. A detenção surge no seguimento de várias denúncias por parte do pai da criança que acusa a mãe de não cumprir o regime de visitas.

Este é o terceiro caso em menos de dois meses associado à Associação Infancia Libre, que tem sido usada por mulheres para acusar os pais destas crianças de abusarem sexualmente dos filhos.

A detenção de Ana María Bayo Villamil aconteceu no estacionamento do hospital madrileno de La Paz, local em que esta mulher de 39 anos trabalhava como enfermeira. A mulher estava há dois anos sem permitir que o pai da criança, uma menina de 11 anos, visse a filha, mudando com frequência de casa.

Como nos casos anteriores, o pai da criança foi acusado de abusos sexuais, dos quais ficou absolvido em tribunal há cerca de um mês.

A Infancia Libre é uma associação de proteção de menores, vítimas de abusos sexuais ou de maus-tratos familiares. A sua presidente, María Sevilla, terá tido um primeiro contacto com o Podemos através de um convite para ser ouvida na Comissão de Direitos Humanos da Infância e da Adolescência do Congresso. Em 2017, participou numa ação de sensibilização junto do governo espanhol juntamente com deputadas e senadoras do partido de Pablo Iglesias. Após este evento, María Sevilla terá sido contratada para assessora do Podemos.

O grupo parlamentar do Podemos, no entanto, nega qualquer ligação à presidente da Infancia Libre.