Elon Musk, goste-se ou não da pessoa, não é um homem vulgar. É mais que conhecida a sua trajectória, que o levou a nascer na África do Sul de onde rumou aos EUA, e que todo o seu dinheiro – e hoje a Forbes atribui-lhe bens no valor de 23 mil milhões de dólares – começou com a venda à eBay do sistema de pagamento PayPal, que inventou, por 1,5 mil milhões de dólares. Toda essa verba foi reinvestida na Tesla, onde controla um pouco mais de 20% das acções, e na SpaceX, onde é CEO e CTO, detendo 54% do capital e 78% dos direitos de voto. De caminho criou igualmente a SolarCity (telhas fotovoltaicas e baterias estacionárias PowerWall) e, entre outras empresas, a Boring Company, a tal que faz “buracos”.

Inicialmente o projecto dos túneis era substancialmente mais complexo, até Musk se aperceber que a versão mais simples e barata também funcionava. Nada disto é hoje necessário, com os Tesla a recorrerem apenas ao Autopilot

A ideia por detrás da Boring Company é criar túneis que permitam entrar e sair mais rapidamente do centro das grandes cidades. De início, o projecto semeou a dúvida, um pouco como aconteceu com a Tesla e a SpaceX, mas Musk lá avançou para a construção de túneis protótipo, que utilizou não só para testar a tecnologia, como para vender a ideia às cidades com maiores dificuldades em matéria de tráfego.

O primeiro túnel de testes foi construído em Los Angeles – começou mesmo a poucos metros da sede da SpaceX –, assumindo-se como uma solução muito mais simples (e barata) da que foi pensada inicialmente.

Tal como está, o duplo túnel (um em cada sentido) vai servir para deslocar os Tesla a 200 km/h, ou modelos de outras marcas com sistemas de condução semiautónoma de confiança, entre dois pontos. Vão também existir veículos da marca americana para transportar peões, realizando um serviço de shuttle, permitindo ligar mais depressa o centro da cidade ao aeroporto, por exemplo, ou este à estação principal de comboios, onde não exista uma ligação através dos transportes públicos.

As muitas empresas de Elon Musk

O túnel experimental de Los Angeles, com 1,14 milhas de comprimento (cerca de 1,8 km) foi palco de uma experiência curiosa. Essencialmente, uma corrida. Teve um Tesla Model 3 a percorrer a distância através da obra da Boring Company, enquanto um segundo Model 3 fazia a mesma ligação à superfície. E apesar de a distância ser muito curta, demasiado para fazer uma diferença significativa, e as condições de trânsito não serem muito restritivas, a verdade é que o cronómetro permite retirar conclusões. Como pode ver no vídeo.