Rádio Observador

Mobilidade urbana

Acha que os túneis de Elon Musk funcionam? Espreite aqui

162

Além da SpaceX e da Tesla, Elon Musk, o CEO de ambas as companhias, é ainda o responsável pela Boring Company que, como o nome indica, faz túneis. Será que funcionam? Eis a prova dos nove.

Elon Musk, goste-se ou não da pessoa, não é um homem vulgar. É mais que conhecida a sua trajectória, que o levou a nascer na África do Sul de onde rumou aos EUA, e que todo o seu dinheiro – e hoje a Forbes atribui-lhe bens no valor de 23 mil milhões de dólares – começou com a venda à eBay do sistema de pagamento PayPal, que inventou, por 1,5 mil milhões de dólares. Toda essa verba foi reinvestida na Tesla, onde controla um pouco mais de 20% das acções, e na SpaceX, onde é CEO e CTO, detendo 54% do capital e 78% dos direitos de voto. De caminho criou igualmente a SolarCity (telhas fotovoltaicas e baterias estacionárias PowerWall) e, entre outras empresas, a Boring Company, a tal que faz “buracos”.

Inicialmente o projecto dos túneis era substancialmente mais complexo, até Musk se aperceber que a versão mais simples e barata também funcionava. Nada disto é hoje necessário, com os Tesla a recorrerem apenas ao Autopilot

A ideia por detrás da Boring Company é criar túneis que permitam entrar e sair mais rapidamente do centro das grandes cidades. De início, o projecto semeou a dúvida, um pouco como aconteceu com a Tesla e a SpaceX, mas Musk lá avançou para a construção de túneis protótipo, que utilizou não só para testar a tecnologia, como para vender a ideia às cidades com maiores dificuldades em matéria de tráfego.

O primeiro túnel de testes foi construído em Los Angeles – começou mesmo a poucos metros da sede da SpaceX –, assumindo-se como uma solução muito mais simples (e barata) da que foi pensada inicialmente.

Tal como está, o duplo túnel (um em cada sentido) vai servir para deslocar os Tesla a 200 km/h, ou modelos de outras marcas com sistemas de condução semiautónoma de confiança, entre dois pontos. Vão também existir veículos da marca americana para transportar peões, realizando um serviço de shuttle, permitindo ligar mais depressa o centro da cidade ao aeroporto, por exemplo, ou este à estação principal de comboios, onde não exista uma ligação através dos transportes públicos.

As muitas empresas de Elon Musk

O túnel experimental de Los Angeles, com 1,14 milhas de comprimento (cerca de 1,8 km) foi palco de uma experiência curiosa. Essencialmente, uma corrida. Teve um Tesla Model 3 a percorrer a distância através da obra da Boring Company, enquanto um segundo Model 3 fazia a mesma ligação à superfície. E apesar de a distância ser muito curta, demasiado para fazer uma diferença significativa, e as condições de trânsito não serem muito restritivas, a verdade é que o cronómetro permite retirar conclusões. Como pode ver no vídeo.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)