“Circular em em excesso de velocidade é uma atitude reprovável. O acidente fez mais vítimas além do condutor. Reyes não merece uma homenagem como se fosse um herói”. Foi assim que Santiago Canazares, antigo guarda-redes do Real Madrid e do Valência, expressou no Twitter o que sentia sobre a morte de José Antonio Reyes, que perdeu a vida este sábado num acidente de carro. Canizares ainda disse que “isso não impede que lamente o ocorrido e reze pelas almas” das vítimas, mas a polémica já lhe valeu fortes críticas nas redes sociais.

Reyes morreu este sábado e, no mesmo acidente, morreram também dois primos seus, Jonathan Reyes e Juan Manuel Calderon. O acidente que vitimou o jogador espanhol ocorreu às 11h40 (10h40 de Lisboa), numa autoestrada entre Sevilha e Utrera, localidade onde nasceu. O carro em que circulava sofreu um despiste, incendiando-se de seguida, de acordo com a agência EFE. Segundo a imprensa espanhola, o carro de alta cilindrada, um Mercedes de 380 cv, seguia em excesso de velocidade.

Santiago Canizares ainda partilhou mais tweets depois da chuva de críticas a justificar-se: “Se calhar não me expliquei bem. Claro que [Reyes] merece uma homenagem e uma grande memória pela sua carreira e pelo que contribuiu para o futebol”. Noutro tweet queixou-se das “opiniões acompanhadas de insultos e desprezo” que recebeu e salientou que o que quis dizer com o tweet foi condenar a “insensibilidade” e convidar todos a refletir “sobre os erros que cometemos”.