Orçamento do Estado

Oficiais de justiça vão ter suplemento por recuperação de atrasos integrado no salário

784

Compensação paga por trabalho para recuperar atrasos nos processos será integrada na remuneração base dos oficiais de justiça, segundo versão preliminar do Decreto-Lei de Execução Orçamental.

AFP/Getty Images

O suplemento remuneratório atualmente pago aos oficiais de justiça como compensação pelo trabalho de recuperação dos atrasos nos processos vai ser integrado na sua remuneração base, segundo prevê o projeto de Decreto-Lei de Execução Orçamental.

“O suplemento remuneratório atribuído ao pessoal oficial de justiça (…) é extinto e o seu valor integrado na remuneração base mensal correspondente a cada categoria e escalão das escalas salariais dos oficiais de justiça”, refere a versão preliminar do diploma, a que a Lusa teve acesso. O documento detalha ainda que o valor do suplemento a integrar na remuneração base mensal é o que corresponde ao “resultado final da multiplicação por 11 do valor mensal atualmente auferido e à divisão deste valor por 14”.

O valor deste suplemento, que é abonado 11 vezes por ano, é, assim, dividido pelos 14 salários auferidos pelos trabalhadores durante um ano. Em causa está um suplemento que corresponde a 10% da remuneração e que é atribuído aos oficiais de justiça colocados em lugares dos quadros das secretarias dos tribunais e de serviços do Ministério Público, “para compensação do trabalho de recuperação dos atrasos processuais”.

O pagamento começou por ser de 5% em outubro de 1999, a que se juntariam mais 5% a partir de 1 de janeiro de ano seguinte, perfazendo os 10%, estando prevista a sua suspensão aos trabalhadores em que se verificasse não ter havido “sensível recuperação dos atrasos processuais”. A manutenção do pagamento deste suplemento ao trabalhador está dependente da sua classificação por parte do serviço, não podendo esta ser inferior a ‘Bom’.

O secretário-geral da Federação dos Sindicatos da Administração Pública vê com reservas a integração deste suplemento no vencimento base dos oficiais de justiça prevista no DLEO, desde logo pelo impacto que poderá ter no valor mensal líquido que estes trabalhadores auferem.

“Ao ser inserido no vencimento base vai passar a ser considerado nos descontos nomeadamente para a ADSE”, referiu à Lusa José Abraão, acrescentando que, para alguns trabalhadores, esta medida pode também ter impacto no valor de retenção na fonte de IRS e acabar por fazer “com que no final do mês a pessoa receba menos dinheiro”.

O projeto do DLEO precisa que esta integração do suplemento se traduz “num incremento da remuneração base mensal correspondente a cada categoria e escalão, dela passando a fazer parte integrante para todos os efeitos legais”. O diploma adianta ainda que a medida “representa a compensação devida aos oficiais de justiça pelo cumprimento do dever de permanência a que os mesmos estão estatutariamente sujeitos”.

Caso venha a ser acolhida na versão final do Decreto-Lei de Execução Orçamental, esta medida entra em vigor no primeiro dia do mês seguinte ao da publicação do diploma.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)