Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O novo Corsa é uma agradável surpresa, apesar de os alemães admitirem que foi o modelo concebido no mais curto espaço de tempo na história da marca. Isto porque existia um “outro” Corsa que já estava num estágio muito avançado de desenvolvimento, quando os franceses da PSA adquiriram a Opel aos americanos da General Motors (GM), pelo que foi necessário recomeçar tudo de novo, desta vez com plataforma e motorizações gaulesas.

Face à anterior geração, o novo Corsa é só vantagens, a começar por estar montado num chassi novo e actual, o que lhe permite reduzir o peso em 100 kg, propondo as versões mais simples com cerca de 1.000 kg. O comprimento do utilitário aumentou pouco (4,02 para 4,06 metros), a registar-se igualmente um incremento na distância entre eixos – isto acreditando nos responsáveis do construtor, uma vez que não foram divulgados dados específicos (o novo Peugeot 208, que partilha a mesma plataforma, tem 2,54 m entre eixos, contra 2,51 do Corsa antigo).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.