Rádio Observador

Organizações de Saúde

Convenção Nacional da Saúde junta esta terça-feira 150 organizações de saúde

"A agenda da saúde para o cidadão" é o centro deste debate que junta todas as instituições do setor da saúde em busca de consensos.

Convenção é "pioneira em Portugal e na Europa", segundo o presidente da comissão organizadora

Shidlovski/Getty Images/iStockphoto

Cerca de 150 organizações de saúde participam esta terça-feira na Convenção Nacional da Saúde, em Lisboa, uma iniciativa pioneira que pretende colocar o cidadão e o doente no topo das prioridades da política de saúde em Portugal, segundo os organizadores.

Criada em abril de 2018, a Convenção Nacional da Saúde nasceu do consenso de todos os parceiros envolvidos e do compromisso com a saúde dos portugueses.

“Trata-se de um acontecimento que já começa a ser conhecido e tem até alguma componente inédita e histórica em Portugal que é conseguir juntar todas as instituições do setor” da saúde na procura de consensos, disse à agência Lusa o presidente da comissão organizadora, Eurico Castro Alves.

Segundo Eurico Castro Alves, são cerca de 150 os parceiros comprometidos com a “Agenda da Saúde para a Década”, entre os quais sete ordens de profissionais da saúde, 69 associações de doentes, 23 instituições públicas de saúde, 20 associações profissionais, 16 associações sectoriais da área da saúde e nove instituições do setor social.

Todos os parceiros e todos os cidadãos têm a oportunidade de participar e dar o seu contributo para definir um novo rumo da saúde.

“Queremos com isto ter mais alguma influência, mostrar a quem tem de tomar as decisões políticas que são muitas as instituições e as pessoas que se juntam em torno deste projeto, que tem uma única ambição, melhorar o sistema nacional de saúde”, disse o presidente da comissão organizadora.

Para Eurico Castro Alves, o “mais importante” é conseguir ter um sistema que sirva os cidadãos em todas as suas vertentes “sem preconceitos ideológicos”.

Segundo o presidente da comissão organizadora, a Convenção Nacional da Saúde tem como “grande ambição” acompanhar durante a próxima década a evolução do sistema de saúde, medindo anualmente “o que melhorou em Portugal e o que ficou por melhorar” e poder dar contributos para um sistema de saúde mais eficaz e mais seguro.

Eurico Castro Alves manifestou-se convicto de que a convenção será “um bom exemplo” para a União Europeia e para outros países devido à “vontade demonstrada por todos os agentes do setor de se sentarem, pondo de lado as suas divergências, a favor de um bem maior, que é encontrar os pontos de consenso que possam inspirar depois o poder político”.

“Acho que é um acontecimento muito interessante, pioneiro em Portugal e na Europa e estou mesmo convencido que isto poderá ser replicado noutros países”, sustentou.

A conferência, com o mote “A agenda da saúde para o cidadão”, vai debater temas como a centralidade do cidadão e do doente no sistema de saúde, o estatuto do cuidador informal, a igualdade de acesso a cuidados de saúde, a prevenção, a literacia em saúde, o impacto da doença na economia.

Haverá ainda um debate com o antigo ministro da Saúde Correia de Campos e o ex-líder do CDS-PP Paulo Portas que apresentarão “Duas Visões sobre o Futuro e a Saúde”, bem como a conferência “Saúde: Uma prioridade para Portugal” com deputados parlamentares.

Os resultados dos trabalhos serão incluídos na “Agenda da Saúde para a Década”, documento consensualizado no encontro do ano passado e que reúne as principais conclusões e propostas, apontando caminhos para o futuro sustentável da saúde em Portugal.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Feminismo

Liberdade p/assar /premium

Alberto Gonçalves
105

O descaramento do MDM e associações similares é infinito. Uma coisa, já de si irritante, é a sensibilidade contemporânea a matérias tão insignificantes que não ofenderiam o antigo arcebispo de Braga.

Natalidade

Como captar os votos de um jovem casal?

Ricardo Morgado

O nascimento de uma criança altera, complemente, a vida de um jovem casal. Para que tal aconteça mais vezes, é essencial que o Estado saiba responder às suas necessidades e a algumas urgências.

Toxicodependência

Fernanda Câncio, a droga não é "cool"

Henrique Pinto de Mesquita

Venha ao Bairro do Pinheiro Torres no Porto. Apanhamos o 204 e passamos lá uma hora. Verá que as pessoas que consomem em festivais não são bem as mesmas que estão deitadas nas ruas do Pinheiro Torres.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)