Júlio Santos, padre afastado da paróquia de Pedrógão Grande pelo bispo de Coimbra depois de publicar uma fotografia nas redes sociais onde surge em roupa interior deitado na cama, contou ao Correio da Manhã mais detalhes sobre o episódio.

O padre confessou que a fotografia foi tirada há cerca de um mês num hotel, no Porto, durante um “encontro casual” por uma mulher que descreve como “uma serpente tentadora”. Júlio Santos, que diz que a publicação da imagem foi “um descuido”, mostra-se despreocupado com o sucedido por não ter “cometido qualquer crime”.

“Se molestei a Igreja nos meus pecados, também a amei até ao limite das minhas forças”, escreveu o sacerdote de 58 anos na rede social Facebook, na mesma publicação onde diz sair “de cabeça levantada” do seu cargo.

Depois da divulgação da fotografia, D. Virgílio Antunes, bispo de Coimbra afastou temporariamente Júlio Santos da diocese de Pedrógão Grande, de forma a não “aumentar nem multiplicar o escândalo entre os fiéis”. Júlio Santos garante que não vai voltar “a servir a Igreja na diocese de Coimbra”.