Um jovem está desaparecido depois de cair ao rio Tejo, entre a discoteca Urban Beach e Lust in Rio, na zona de Santos, em Lisboa, esta madrugada de quinta-feira, confirmou o Observador junto do porta-voz da Marinha, o comandante Pereira da Fonseca.

O alerta foi dado por uma pessoa que se encontrava no local e que, cerca das 5h00 da manhã, “diz ter visto um jovem, por volta dos 20 anos, dentro de água, a montante da discoteca Urban Beach”, disse a mesma fonte. Não se sabe para já se o jovem teria estado em alguma discoteca daquela zona. Num vídeo a que o Observador teve acesso, filmado a partir do interior do Urban Beach, é possível ver várias luzes de emergência de veículos estacionados junto ao Lust in Rio.

[A testemunha] disse que foram lançados à água alguns objetos flutuantes para que ele tentasse agarrar, mas o jovem não terá reagido. O homem terá afundado“, revelou o comandante Pereira da Fonseca.

Não foi possível identificar o jovem desaparecido, para já, e não foi ainda feita participação do seu desaparecimento, por ninguém. A testemunha não terá percebido se o jovem estava consciente. “Apenas diz que não terá reagido”, explica a mesma fonte.

A Polícia Marítima está a investigar o alegado desaparecimento. Após o alerta, a Capitania do Porto de Lisboa enviou para o local uma embarcação de salva-vidas, uma embarcação da Polícia Marítima e uma patrulha por terra.

Não avistaram nada. Identificaram a testemunha que, entretanto, foi chamada a prestar declarações, no âmbito do processo de investigação criminal que foi instaurado”, disse o comandante.

Para o local, foram ainda mobilizados meios da PSP, uma equipa do INEM, uma equipa do Regimento de Sapadores de Bombeiros de Lisboa e ainda uma equipa de mergulho. Estes meios foram desmobilizados por volta das 8h30, após não o jovem não ter sido encontrado. “Mantém-se na água buscas através das embarcações e, por terra, com buscas da Polícia Marítima“, disse ainda o porta-voz.

Em fevereiro de 2013, João Medeiros, um jovem açoriano de 24 anos, desapareceu depois de ter saído sozinho da discoteca Urban Beach, por volta das 4h00 da madrugada. Na altura, foram realizadas buscas no rio Tejo, mas o corpo nunca foi encontrado. Uma das teses do desaparecimento seria a de que João Medeiros teria sido assaltado e assassinado por elementos de extrema-direita — foi, aliás, esta versão que o antigo dirigente da Frente Nacional, Mário Machado, apresentou numa carta que escreveu à Procuradoria-Geral da República, onde revelava a sua versão dos factos.  João Medeiros nunca foi encontrado e o mistério ficou por resolver. O jovem consta na lista de desaparecidos da Polícia Judiciária, que investigou o desaparecimento.

[Artigo atualizado às 15h20 de 27 de julho com a informação de que o corpo foi encontrado entre a discoteca Urban Beach e Lust e não junto à primeira]