Rui Rio não vai ser o cabeça de lista pelo Porto às eleições legislativas de Outubro. A notícia é avançada pelo Expresso, que lhe chama “o segredo mais bem guardado” no PSD. O “número um” da lista será Hugo Carvalho, presidente do Conselho Nacional da Juventude do PSD, adianta o semanário. Rio segue como número dois.

A decisão faz parte de uma “revolução na filosofia da escolha das cabeças de lista do PSD” e visa uma “rutura com a habitual lógica partidária”, além de pretender “dar o exemplo às restantes estruturas”, escreve o jornal. Fonte da direção do PSD disse ao Expresso que “se o atual sistema não funciona (…) é tempo de fazer diferente”.

Tal como no Porto, também em Lisboa, o círculo mais importante do país (que elege o maior número de deputados), a escolha da cabeça de lista recaiu sobre uma “jovem pouco conhecida”: Filipa Roseta. Arquiteta e vereadora da Câmara Municipal de Cascais, Filipa Roseta é filha de Helena e Pedro Roseta. O Expresso adianta que, para Lisboa, se especulava “sobre a possibilidade de David Justino, vice-presidente do partido e um dos homens de maior confiança de Rio, assumir o lugar”.

Em Lisboa, a escolha dos nomes que vão integrar a lista tornou-se polémica nos últimos dias, mas por outras razões. Tal como o Observador noticiou, uma das candidatas a deputada, a desconhecida Joana Corrêa Monteiro, não sabia que o era e exigiu a retirada do seu nome.

“Em Aveiro, distrito de Salvador Malheiro, outro dos vices mais próximos de Rio, a cabeça de lista será mais uma cara nova e desconhecida: Ana Miguel Santos, advogada e investigadora associada em Cambridge”, escreve o Expresso. Em Braga a escolha para número um recai sobre André Coelho Lima, vereador em Guimarães e vogal da direção política do partido, e em Coimbra será a advogada Mónica Quintela, que já é porta-voz para a área da justiça do Conselho Estratégico Nacional do partido. Margarida Balseiro Lopes, líder da JSD, foi escolhida para encabeçar a lista pelo círculo eleitoral de Leiria.

“Rui Rio sabe que está a assumir um risco. Mas é um risco que vale a pena assumir”, disse ao Expresso uma fonte da direção do partido, reforçando que as escolhas são, acima de tudo, um sinal de “coerência”.

Os círculos eleitorais de Porto, Lisboa, Aveiro, Braga, Coimbra e Leiria representam dois terços do eleitorado do PSD.

Pedro Duarte aplaude escolhas de Rio

A decisão de Rui Rio motivou até o aplauso de um dos seus maiores críticos. Pedro Duarte recorreu às redes sociais para dar os “parabéns” pelas escolhas do líder “laranja”, considerando que constituem “uma aposta segura numa geração diferente e cheia de talento”.