Rádio Observador

Vinho

Duas quintas durienses entre as “50 melhores vinhas do mundo” em 2019

2.270

Há dois produtores portugueses entre as "melhores vinhas do mundo" em 2019. A Quinta do Crasto arrecadou o cobiçado 4.º lugar e a Quinta do Bomfim, dos Symington, ficou em 37.º lugar.

A duriense Quinta do Crasto ficou em quarto lugar nos prémios anuais que distinguem as “melhores vinhas no mundo” (em inglês “World’s Best Vineyards”). A cerimónia aconteceu na noite de segunda-feira em Londres e reservou o primeiro lugar para o produtor argentino Zuccardi Valle de Uco. O top três fica completo com a Bodega Garzón, no Uruguai, e o produtor R. López de Heredia Viña Tondonia, em Espanha.

A Quinta do Crasto não é a única referência portuguesa numa lista composta por 50 produtores — a Quinta do Bomfim, também no Douro, figura no número 37.º –, mas o lugar que lhe foi destinado é bastante tentador, posicionando-a à frente de produtores de renome como a Robert Mondavi Winery, na Califórnia, que surge na 12.º posição (foi considerada a melhor dos EUA). A quinta francesa melhor posicionada diz respeito ao Château Smith Haut Lafitte, que ficou em 16.º lugar.

A distinção, garante a CNN e o Daily Mail, resulta de uma votação a nível global que compete a cerca de 500 pessoas na indústria do vinho, incluindo sommeliers. Em competição estavam 1.500 produtores de todo o mundo. A argentina Zuccardi Valle de Uco, fundada em 1963, arrecadou o primeiro lugar.

Eis a lista completa:

1 Zuccardi Valle de Uco, Argentina

2 Bodega Garzón, Uruguai

3 R. López de Heredia Viña Tondonia, S.A, Espanha

4 Quinta do Crasto, Portugal

5 Catena Zapata, Argentina

= 6 Montes, Chile

= 6 Clos Apalta Winery, Chile

8 Rippon, Nova Zelândia

9 Marqués de Riscal, Espanha

10 Weingut Dr. Loosen, Alemanha

11 Craggy Range, Nova Zelândia

12 Robert Mondavi Winery, EUA

13 Penfolds Magill Estate, Austrália

14 Viña VIK, Chile

15 Weingut Tement, Áustria

16 Château Smith Haut Lafitte, França

17 Viña Errázuriz, Chile

18 Antinori nel Chianti Classico, Itália

=19 Opus One Winery, EUA

=19 Domäne Wachau eGen, Áustria

21 Schloss Johannisberg, Alemanha

22 Château Margaux, França

23 Viu Manent SA, Chile

24 Vivanco, Espanha

25 Bodega Colomé, Argentina

=26 Viña Santa Rita, Chile

=26 Bodegas Salentein, Argentina

28 Familia Torres – Pacs del Penedès, Espanha

29 d’Arenberg, Austrália

=30 Viña Casas del Bosque, Áustria

=30 Schloss Gobelsburg, Chile

32 Bodegas RE, Chile

33 Schloss Vollrads, Alemanha

34 Vergelegen Estate, África do Sul

35 Domaine Sigalas, Grécia

36 Ridgeview, Reino Unido

37 Quinta do Bomfim, Portugal

38 Veuve Clicquot, França

=39 Delaire Graff Estate, África do Sul

=39 Château Mouton Rothschild, França

41 El Enemigo Wines, Argentina

42 E.Guigal, França

43 Domaine Henri Bourgeois, França

44 Bodega Bouza, Uruguai

45 Creation Wines, África do Sul

46 Ruinart, França

47 Seppeltsfield Barossa, Austrália

48 Kir-Yianni, Grécia

49 Château Heritage, Líbano

50 Mission Hill Family Estate, Canadá

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)